Última Hora

• Nenhum artigo encontrado
Argélia 1 - 1 Rússia

Прощай, Россия – Adeus, Rússia

E pronto. Acabou a fase de grupos do Campeonato do Mundo do Brasil. E quem passou, passou, e quem não passou, ou já foi embora para as suas casa, ou está já a ir.

A Selecção da Rússia e a Selecção da Coreia do Sul foram as duas últimas selecções a receberem a guia de marcha neste adeus ao Mundial. E a sua derrota, foi a vitória da Selecção da Argélia e da Selecção da Bélgica.

Прощай, Россия. Até daqui a quatro anos.

Mas não acaba esta primeira fase do Mundial sem controvérsias. Pelo menos as que circulam à volta das equipas de arbitragem. Começou logo no primeiro jogo da prova, quando a Selecção do Brasil e a Selecção da Croácia se defrontaram e o árbitro mostrou uma clara tendência caseira. Continuou ao longo de toda a prova, com mais ou menos predominância, mas chegou até ontem, ao último jogo.

Agora que o Campeonato do Mundo acabou para os russos, Fabio Capello decidiu falar, que já estava com a acusação atravessada na garganta, e disse que os árbitros deste Mundial estavam “sempre contra a Rússia. Houve outro penalty que não foi marcado. Não consigo entender como estão sempre contra nós.” As dores de um treinador perdedor. Mas que não são sem sentido. É claro que quando se perde, vai buscar-se sempre uma razão, uma desculpa, uma culpa. Mas há, por vezes, razão no discurso. Ora, no de Fabio Capello pode haver algum exagero, até porque as actuações dos russos não deixaram antever algo muito diferente, mas o que acusa faz algum sentido. No entanto…

No entanto a Rússia, que não andava na alta roda do futebol há mais de uma década, e regressou graças ao trabalho de Fabio Capello, voltou para casa a exemplo da Selecção de Espanha, da Selecção de Itália, da Selecção de Inglaterra e da Selecção da Portugal. Em boa companhia, como se pode ver. E ter-se-á que perceber o porquê destas selecções, algumas de países que têm dos campeonatos mais interessante e competitivos do Mundo, deixarem o Mundial tão cedo e com um sabor amargo a grande derrota.

Fabio Capello

Fabio Capello muito crítico com os árbitros

Não será, contudo, este o enquadramento da equipa russa. Até porque, como se ouviu várias vezes da boca de Fabio Capello, este é um trabalho que visa 2018, quando a Rússia sediar o seu próprio Campeonato do Mundo. Mas também por isso, ou essencialmente por isso, a Rússia queria mais, e sentiu que não a deixaram fazer mais. Mas também é de concordar que esteve num grupo muito forte. A Bélgica tem uma das selecções mais fortes do últimos anos (se bem que ainda não o foi demonstrado em campo, na sua plenitude) e a Argélia foi uma estrondosa surpresa. Por isso não escandaliza, a eliminação russa. Para outros que não Fabio Capello, ou os russos.

Disse ainda Fabio Capello que “podíamos ter ganho, sim, mas infelizmente sofremos um golo num lance de bola parada, numa falta que o árbitro deveria ter apitado antes ao nosso favor. Uma coisa que tenho de lamentar é as nossas arbitragens. Fiquei sempre calado, mas agora que acabou tenho de falar. Não apitaram uma falta sobre o Kokorin próxima da área. Contra a Bélgica, houve um penalty duvidoso. Tenho que falar.” Mas o futebol é assim. Que o digam os portugueses.

Mas nem tudo foi mau ou queixas por parte de Fabio Capello a defender a sua dama. Ontem, após o jogo com a Argélia que terminou empatado 1 golo, e que valeu o afastamento, Capello dizia: “na minha carreira, nunca vi um Campeonato do Mundo deste nível. A qualidade é absolutamente incrível, o ritmo é muito intenso. Está sendo um óptimo torneio. Se se cometer o mais pequeno erro, vai pagar-se por ele. Cometemos pequenos erros pelos quais tivemos de pagamos.” Ora aí está. Da Rússia com amor e até daqui a quatro anos.

Outros Artigos Recomendados

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *