Última Hora

• Nenhum artigo encontrado
Grécia Colombia

A Grécia lida bem com as expetativas

Depois de uma pesada derrota no encontro frente à Colômbia, a Grécia viu-se perante a necessidade de repensar as suas ambições no presente Mundial, ainda que tudo esteja em aberto para o conjunto helénico. O importante será, agora, concentrar esforços na busca da vitória frente ao Japão e à Costa do Marfim, adversários que se seguem.

“Já havíamos observado o Japão antes do Mundial e voltámos a vê-los frente à Costa do Marfim. Sabemos bem quais são as suas qualidades e os seus defeitos e tivemos oportunidade de informar os nossos jogadores sobre isso mesmo. Estamos preparados” – disse um confiante Fernando Santos na sua última conferência de imprensa.

Para o treinador nacional, as possíveis mudanças no seu onze terão que ver, sobretudo, com a resposta física de cada atleta. “Não acredito que o caminho seja mudar tudo só por termos perdido 0-3. A maior crítica que nos fizeram antes de aqui chegarmos foi por não parecermos muito ativos, mas a verdade é que, contra a Colômbia, estivemos bem e perdemos. Agora vou esperar para ver o estado dos meus jogadores e tomar as decisões necessárias”.

Ainda assim, não é na linha defensiva que Fernando Santos coloca maior ênfase, na hora de analisar o que se passou frente aos colombianos. “A minha maior preocupação foi não termos marcado golos. Conseguimos criar oportunidades mas, infelizmente, a bola não entrou. Ao nível defensivo, não penso que se devam individualizar culpas de jogadores. Trabalhamos como um todo e é isso que lhes foi pedido.” Para além disso, Santos confia na resposta a dar nos próximos encontros. “Nos últimos dez minutos de jogo, alguns jogadores esqueceram-se de que estavam num Campeonato do Mundo. Não se pode permitir sofrer golos numa competição tão curta. Naquele jogo, acabámos por não ter condições para corrigir os nossos próprios erros, mas estou certo de que o faremos nas partidas que se seguem.”

Samaras perante um jogo de tudo ou nada

Giorgios Samaras deverá voltar a estar entre as apostas de Fernando Santos para a frente de ataque da seleção grega. O avançado disse perceber que ainda exista quem olhe os gregos “como a equipa mais defensiva que venceu o Euro 2004, mas agora somos um conjunto de um pendor mais atacante. Contra a Colômbia, saímos para ganhar, mas as coisas não correram bem. Agora, frente ao Japão, temos consciência de que é um jogo onde estamos obrigados a vencer e é isso que vamos procurar”.

A solução, quer para Samaras, quer para Santos, não passa por fazer algo diferente. Passa, sobretudo, por cumprir o planeado sem cometer erros.

And after a decade or more www.order-essay-online.net/ online essay of constant criticism of public schools, many educators are just too weary

Outros Artigos Recomendados

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *