Última Hora

• Nenhum artigo encontrado
Neymar

A Muralha Azteca não caiu!

O grande jogo do dia colocou frente a frente Brasil e México no Estádio Castelão em Fortaleza. A 3 pontos de uma possível passagem aos oitavos-de-final da competição, o Brasil desde cedo sabia da importância deste jogo, quer por isso mesmo, quer por se tratar de um eterno rival da América do Sul. Tudo começou de forma emotiva ainda o hino do Brasil tocava, com Neymar a chorar e a demonstrar a paixão pelo seu país de uma forma que certamente tocou todos os presentes no Estádio, através dos ecrãs gigantes.

Um Brasil indefinido, frente a um México organizado

A partida começou bastante equilibrada, com o México a tentar tirar partido do contra-ataque e das saídas rápidas para o ataque, mas sem grande esclarecimento nos primeiros minutos de jogo. Com um natural maior domínio nos primeiros 10 minutos da partida, o Brasil foi procurando organizar o seu jogo e desmontar a armada defensiva do México, bem organizado e enquadrado em todos os sectores do campo. Ao minuto 11″ da partida, grande lance de Óscar junto à linha esquerda da ofensiva brasileira, a fazer um passe magistral para Fred, que atira ao lado da baliza defendida por Ochoa. O fiscal de linha viria a anular o lance por fora de jogo, mas fica a intenção de Óscar, grande comandante da Canarinha neste Mundial.

Voo de Ochoa

Voo de Ochoa a cabeceamento de Neymar

Ao minuto 13″ da partida, grande lance de Neymar à entrada da área, combinação com Fred e o lance perde-se pela linha de canto. Neymar vai sendo o homem mais criativo do lado do Brasil, tentando agarrar o jogo da Canarinha e desenvolvendo as acções ofensivas da sua equipa. Pela terceira vez em 21″ minutos de jogo, Fred volta a ser apanhado em fora de jogo, depois de um passe fantástico de Dani Alves na meia direita do Brasil. Sem grande imaginação, o Brasil pouco ou nada fez nos primeiros 25 minutos da primeira parte. No mesmo período é o México a ter a melhor oportunidade do jogo até ao momento, com Herrera a disparar fortíssimo para Júlio César fazer uma intervenção fantástica a retirar o golo ao médio Mexicano que actua no FC Porto. Na resposta, ao minuto 26″, Neymar faz um cabeceamento incrível do lado esquerdo do ataque do Brasil após cruzamento de Dani Alves, para uma intervenção histórica de Ochoa, a retirar aquilo que parecia ser um golo certo. Fantástico!

Ao minuto 39″ da partida, remate de Marcelo na meia esquerda ofensiva do Brasil, mas sem grandes efeitos práticos. O Brasil continua a tentar, mas longe do alvo. Ao minuto 41″ da partida, Vazquez tem uma oportunidade fantástica em zona central, e de fora da área, faz um remate colocadíssimo à baliza de Júlio César, que passa a milímetros do poste esquerdo do guardião brasileiro.

Para terminar a primeira parte, ao minuto 43″, cruzamento para a área a partir de uma bola parada, os Mexicanos tentam colocar os brasileiros em fora de jogo, Thiago Silva bate de peito para o centro da pequena área, e Paulinho, na cara de Ochoa, permite ao guarda-redes Mexicano uma defesa magristal que vale o empate ao intervalo.

Sacrifício Azteca e desperdício de oportunidades

Para a segunda parte, Luiz Felipe Scolari, retira Ramires e coloca Bernard em campo, com o objectivo de melhorar a transição ofensiva do Brasil. Ao minuto 48″, Bernard rasga toda a defensiva do México, numa transição ofensiva rápida, cruza para Neymar no centro da área, e é o México a cortar a jogada, já com Ochoa fora da baliza e com o craque brasileiro preparado para fazer o 1-0. Organizado, o México vai conseguindo defender-se bem e evitando o primeiro da partida. Ao minuto 55″ da partida, é a vez do México criar perigo, com Vazquez, novamente, a rematar de fora da área, com a bola a passar a centímetros da barra da baliza defendida por Júlio César. Os Mexicanos vão dando uma boa réplica no contra-ataque e equilibrando o jogo, colocando o Brasil em sentido.

Dois minutos volvidos e é a vez de Herrera disparar do lado direito do ataque Mexicano, também ele com a bola a passar muito muito perto da barra de baliza. O México vai dominando nos últimos 10 minutos, e já dispôs de várias oportunidades para estar na frente do marcador. Mas é o Brasil, aos 63″ minutos, por intermédio de Neymar na marcação de um livre directo, a ficar muito perto do golo. O Brasil vai tentando equilibrar o jogo e amenizando a motivação e confiança dos Mexicanos. Com Fred totalmente apagado na partida, Scolari decidi retirar o ponta de lança brasileiro e colocar Jô no seu lugar. Ao minuto 68″, mais uma grande oportunidade para o Brasil, com Ochoa a defender o primeiro lance disparado por Neymar, antes de Dani Alves desperdiçar a recarga. O México vai-se aguentando, com o Brasil a apertar o cerco.

Ochoa

Ochoa foi determinante

Ao minuto 73″, mudança de Pontas de Lança no México, com a saída de Peralta e a entrada de Chicharito Hernández. O México não desiste de procurar a vitória, mas é ao minuto 75″, que Jô, desmarcado de forma exímia por Bernard, entra no coração da área e remata cruzado para fora. É o desperdiçar de um lance que poderia dar a vantagem ao Brasil. O México responde com a saída de Herrera, um dos melhores do lado Mexicano, e a entrada de Fabian. Minuto 79″ da partida, Chicharito Hernández recebe à entrada da área, e Thiago Silva, numa entrada completamente impensada, por trás, derruba o ponta de lança Mexicano num lance onde deveria ter sido expulso, mas viu somente um cartão amarelo.

Volvido o minuto 83″ da partida, sai Giovanni dos Santos e entra Jimenez, do lado Mexicano, enquanto Óscar dá o lugar a Willian, do lado Brasileiro. É o tudo por tudo nos últimos minutos. Minuto 85″, mais um milagre de Ochoa, que a cabeceamento de Thiago Silva, à queima roupa, mantém o México invicto na partida. Se há alguém que merece o título de melhor em campo, esse é Ochoa com toda a certeza. E ao minuto 89″, é a vez de Guardado fazer a bola passar muito perto da barra da baliza de Júlio César, em mais uma clara oportunidade de golo para o México.

O árbitro da partida dá 3 minutos de compensação, e Jimenez, na primeira jogada da compensação, faz um remate cruzado para grande intervenção de Júlio César. O México vai apertando o cerco ao Brasil nos instantes finais, com várias boas oportunidades de golo.

O empate serve bem a ambas as equipas, que deram tudo durante os 93 minutos de jogo, com imensas oportunidades de golo de parte a parte. O México, pelo que fez, mereceu pontuar e quem sabe até levar a vitória para a casa.

A Muralha Azteca não caiu!

They are likely to give schools power over their budgets first, their personnel second, and their assignment helper online by http://essaynara.com/ curricula last

Outros Artigos Recomendados

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *