Última Hora

• Nenhum artigo encontrado
slimani argelia

A voar nas asas de Slimani

Assim seguem os sonhos dos argelinos. Com um voo de Slimani sobre toda a defensiva russa, as raposas do deserto alcançaram um empate a uma bola com a Rússia e alcançaram o merecido apuramento para os oitavos-de-final. A acompanhar a equipa africana estará a Bélgica, que garantiu uma fase de grupos perfeita ao vencer a Coreia do Sul por 1-0.

Rússia ensaia golpe de teatro

O jogo começou com um golo dos russos. Uma bola bem cavada a partir da faixa esquerda encontrou Kokorin sozinho entre a passiva defesa da Argélia para fazer o primeiro golo da partida. A equipa da Rússia ensaiava, assim, um golpe de teatro, mostrando-se capaz de rebeldia ofensiva, algo que sempre havia escondido durante as outras partidas. Para isso terá contribuído a utilização de Kokorin e Kerzhakov na frente de ataque, uma novidade de Capello, que parecia soltar-se das amarras táticas onde manteve encerrada a sua equipa.

Até à meia-hora de jogo, o conjunto argelino demorou a encontrar os seus espaços, sendo a Rússia a voltar a ter uma nova oportunidade de marcar, por Shatov, aos vinte e seis minutos. Mas, finalmente, a equipa árabe deu um ar de sua graça no último quarto de hora da primeira parte, com Brahimi a mostrar bastante criatividade e, sobretudo, nas bolas paradas, Slimani e Belkalem a mostrarem-se muito ameaçadores. Mas, chegando ao intervalo com a vantagem, a equipa russa apostava na gestão da vantagem.

Argélia ameaça, Slimani cumpre

Ao intervalo foi Fabio Capello quem refrescou o seu meio-campo, com Denisov a entrar no lugar de Glushakov, e a Rússia teve oportunidade para alargar a sua vantagem bem cedo, com Samedov a fazer uma triangulação com Kokorin e a ficar na cara de M’Bolhi, que fez uma excelente defesa. A Argélia, perante este lance, como que acordou, e com os seus extremos a aparecerem mais em jogo – Djabou esteve ao seu nível habitual, enquanto Feghouli foi um dos melhores em campo na segunda parte, oferecendo capacidade de invenção e muita luta -, começava a levar perigo para perto da baliza de Akinfeev. O golo acabou por surgir ao minuto cinquenta e nove, quando à marcação de um livre por Brahimi, Slimani respondeu lá do alto, com um cabeceamento certeiro, num lance onde Akinfeev acaba por ficar mal na fotografia.

Foi o momento do jogo e também um golpe do qual a Rússia parece não ter recuperado. Denisov ainda ameaçou com um tiro de longe, que criou muitas dificuldades a M’Bolhi, enquanto a Argélia ia recuando, mas sempre a procurar o contra-ataque, com Djabou a chegar à área russa, mas a rematar fraco. Fabio Capello lançou Dzagoev em campo e ainda viu Kerzhakov aproximar-se do golo, mas acabou por surpreender ao retirar o seu avançado para entrar Kanunnikov. Por sua vez, Valid Halilhodzic foi capaz de refrescar a sua equipa, baixando as linhas, mas sempre consciente do que havia a fazer. A Argélia alcançou um merecido ponto que a coloca nos oitavos-de-final, onde defrontará a Alemanha.

Bélgica cumpre com terceira vitória

A Bélgica venceu a Coreia do Sul por 1-0 e termina em primeiro lugar do seu grupo, preparando-se agora para defrontar os Estados Unidos nos oitavos-de-final. A equipa de Marc Wilmots descansou alguns dos seus titulares, viu Defour ser expulso ainda na primeira parte, mas acabou por chegar à vantagem aos setenta e sete minutos, por intermédio de Vertonghen. Uma vez mais sem brilhantismo, a Bélgica cumpriu a sua missão e mantém a esperança de chegar longe neste Mundial.

Bolanos, the san diego bustling right over there student, said he understands how those incidents could happen

Outros Artigos Recomendados

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *