Última Hora

• Nenhum artigo encontrado
Portugal - Suécia 2009

Antevisão: Portugal – Suécia

Regularidade. Esta é a palavra que melhor define a selecção nacional de futebol. A regularidade da irregularidade. Ultimamente não há fase final onde se chegue sem passar pelo crivo do play-off. Na irregularidade do futebol jogado e das suas exibições, há a regularidade de ter de lutar até ao fim. Do mal o menos.

A história tem sido, até agora, favorável. Os dois últimos play-offs que a selecção portuguesa teve de ultrapassar, ambas contra a Bósnia Herzegovina, resultaram em sucessos. Mas hoje, a incontornável Bósnia Herzegovina está apurada para o Campeonato do Mundo de 2014 por mérito próprio e à frente do português Fernando Santos, seleccionador da Grécia e, Portugal, uma vez mais, tem de se superar e tentar ultrapassar a difícil selecção sueca.

É verdade que a Suécia não é, ou não era, a mesma selecção forte de outros tempos, mas basta-lhe a presença de Zlatan Ibrahimovic para as coisas mudarem de figura, como aliás se tem comprovado, quer nos jogos do Paris Saint-German na Liga dos Campeões, onde, por exemplo, o Benfica foi praticamente arrasado pelo sueco, quer nos jogos da selecção da Suécia no seu grupo de apuramento para o Mundial onde, por exemplo, foi empatar a casa da fortíssima selecção alemã por 4 a 4, depois de ter estado a perder por 4 a 0.

Espera-se contudo, que sejam, afinal, dois grandes jogos, mesmo duas finais, estes que irão opor Portugal à Suécia, dois jogos de mata-mata como dizia o antigo treinador nacional, actual treinador do Brasil, Luiz Felipe Scolari. O primeiro em Lisboa, no Estádio da Luz, já esta próxima Sexta-feira, dia 15 de Novembro às 19:45′. O segundo jogo será em Solna, no Estádio Nacional, na próxima Terça-feira, dia 19 de Novembro, às 19:45′.

A Selecção Portuguesa

Onde a selecção portuguesa estará melhor será, provavelmente, na cabeça e vontade de Cristiano Ronaldo. É sabido como a adversidade tem o condão de agitar o avançado português. Esta última controvérsia com Joseph Blatter, que afirmou ser um grande admirador de Lionel Messi, tem influenciado, positivamente,

Portugal - Rússia 2013

Portugal fez, contra a selecção da Rússia, o seu melhor resultado contra um adversário directo.

Ronaldo que tem querido mostrar, no campo, que Blatter foi injusto. E a verdade é que Cristiano Ronaldo, que nunca foi um jogador de excelência na selecção nacional, tem mostrado no seu Real Madrid que se não é melhor que Messi é, verdadeiramente, tão bom quanto ele. Era bom que o Ronaldo de Madrid fosse, também, o Ronaldo de Portugal.

Esta selecção nacional está muito, demasiado até, dependente de Cristiano Ronaldo. Veja-se os jogos em que Ronaldo não joga para se perceber que se está perante duas selecções diferentes: a selecção com Ronaldo e a selecção sem Ronaldo. Mesmo quando apagado, a selecção com Ronaldo é muito mais incisiva e mortal. A selecção sem Ronaldo tende a banalizar-se e, até mesmo jogadores acima da média, como João Moutinho, tendem a desaparecer.

Para ajudar a este estado de coisas, a aversão de Paulo Bento, o seleccionador, à mudança, também não traz grandes esperanças. É certo e sabido que, por ali, não haverá revoluções. Jogam os que jogam (os mesmos jogadores), estejam, ou não, em forma. É desmotivador para quem não faz parte do lote dos eleitos e pouco assertivo para quem tem lugar cativo – é aliás uma banalidade os treinadores dizerem que não há lugares cativos nas equipas, quando toda a gente vê, e percebe, que os há.

E basta olhar para os eleitos de Paulo Bento para estes dois importantes jogos. Há, claro, a surpresa de William Carvalho. Mas a escolha do sportinguista só é possível pela ausência forçada de Danny. De resto… Até Eduardo voltou a ser chamado.

De qualquer forma espera-se que Paulo Bento tenha razão, e que estes jogadores sejam, realmente, os melhores e os que dão maiores garantias; que Rui Patrício não cometa os mesmos erros que tem cometido; que Pepe e Bruno Alves estejam intransponíveis; que o velho triângulo do meio campo não se desmonte; e que os extremos alimentem bem Hélder Postiga que, contra tudo e contra todos, continue a marcar golos. E, acima de tudo, que Cristiano Ronaldo mostre a Joseph Blatter que merece ser reconhecido como o melhor do mundo.

A Selecção Sueca

Se a selecção portuguesa vive, e muito, de Cristiano Ronaldo, o que dizer da selecção sueca? Esta selecção é, praticamente, Ibrahimovic. É claro que é-se injusto ao fazer-se uma afirmação destas e não está a ser-se politicamente correcto porque uma equipa são 11 jogadores mais os suplentes que por vezes até viram e transformam resultados e trazem alma renovada a jogos enfadonhos. Mas, contudo, não deixa de ser verdade. Tira-se Ibrahimovic e o que fica? Uma equipa forte, competente, mas sem chama, sem alma, sem génio – meio a brincar, meio a sérios, um pouco como a selecção portuguesa e Ronaldo, se bem que, mesmo assim há

Alemanha - Suécia 2012

A Suécia protagonizou, contra a Alemanha, um jogo de loucos que terminou empatado a 4 golos.

mais jogadores acima da média na selecção de Portugal que na selecção da Suécia.

Mas a favor da Suécia joga a história. Nos 15 confrontos que já levam as duas selecções, Portugal venceu por 3 vezes, empatou por 6 e perdeu por outras tantas vezes. De referir que, em território nacional, nunca a selecção portuguesa conseguiu levar de vencida os suecos. E os 3 últimos encontros terminaram empatados. O último confronto entre Portugal e Suécia data de 28 de Março de 2009, no Estádio do Dragão, onde uma selecção portuguesa comandada por Carlos Queiroz, e com Cristiano Ronaldo, não conseguiu melhor que um nulo contra uma Suécia sem… Ibrahimovic.

A selecção nórdica tem, também, no seu historial, um quarto lugar no Campeonato do Mundo de 1938, em França, dois terceiros lugares nos Campeonatos do Mundo de 1950, no Brasil, e de 1994, nos Estado Unidos, e um segundo lugar no Campeonato do Mundo de 1958, realizado na Suécia e ganho pelo Brasil. Coincidências.

Portugal precisa, e quer ganhar. A Suécia também. E é preciso não esquecer que esta Suécia é a mesma que, em dois jogos contra a Alemanha conseguiu marcar 7 golos.

Equipas Prováveis

Selecção de Portugal: Guarda-redes – Rui Patrício; Defesas: João Pereira, Pepe, Bruno Alves e Fábio Coentrão; Médios – Miguel Veloso, Raul Meireles e João Moutinho; Avançados – Cristiano Ronaldo, Nani e Hélder Postiga.

Selecção da Suécia: Guarda-redes – Andreas Isaksson; Defesas – Mikael Antonsson, Per Nilsson, Martin Olsson e Rasmus Elm; Médios – Sebastian Larsson, Anders Svensson e Pierre Bengtsson; avançados – Zlatan Ibrahimovic, Alexander Kacaniklic e Ola Toivonen.

If you’re importing notes, though, they’ll need to be in plaintext or markdown format or already in moccanote’s file format

Outros Artigos Recomendados

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *