Última Hora

• Nenhum artigo encontrado
Portugal - Suécia 2009

Antevisão: Portugal – Suécia

Regularidade. Esta é a palavra que melhor define a selecção nacional de futebol. A regularidade da irregularidade. Ultimamente não há fase final onde se chegue sem passar pelo crivo do play-off. Na irregularidade do futebol jogado e das suas exibições, há a regularidade de ter de lutar até ao fim. Do mal o menos.

A história tem sido, até agora, favorável. Os dois últimos play-offs que a selecção portuguesa teve de ultrapassar, ambas contra a Bósnia Herzegovina, resultaram em sucessos. Mas hoje, a incontornável Bósnia Herzegovina está apurada para o Campeonato do Mundo de 2014 por mérito próprio e à frente do português Fernando Santos, seleccionador da Grécia e, Portugal, uma vez mais, tem de se superar e tentar ultrapassar a difícil selecção sueca.

É verdade que a Suécia não é, ou não era, a mesma selecção forte de outros tempos, mas basta-lhe a presença de Zlatan Ibrahimovic para as coisas mudarem de figura, como aliás se tem comprovado, quer nos jogos do Paris Saint-German na Liga dos Campeões, onde, por exemplo, o Benfica foi praticamente arrasado pelo sueco, quer nos jogos da selecção da Suécia no seu grupo de apuramento para o Mundial onde, por exemplo, foi empatar a casa da fortíssima selecção alemã por 4 a 4, depois de ter estado a perder por 4 a 0.

Espera-se contudo, que sejam, afinal, dois grandes jogos, mesmo duas finais, estes que irão opor Portugal à Suécia, dois jogos de mata-mata como dizia o antigo treinador nacional, actual treinador do Brasil, Luiz Felipe Scolari. O primeiro em Lisboa, no Estádio da Luz, já esta próxima Sexta-feira, dia 15 de Novembro às 19:45′. O segundo jogo será em Solna, no Estádio Nacional, na próxima Terça-feira, dia 19 de Novembro, às 19:45′.

A Selecção Portuguesa

Onde a selecção portuguesa estará melhor será, provavelmente, na cabeça e vontade de Cristiano Ronaldo. É sabido como a adversidade tem o condão de agitar o avançado português. Esta última controvérsia com Joseph Blatter, que afirmou ser um grande admirador de Lionel Messi, tem influenciado, positivamente,

Portugal - Rússia 2013

Portugal fez, contra a selecção da Rússia, o seu melhor resultado contra um adversário directo.

Ronaldo que tem querido mostrar, no campo, que Blatter foi injusto. E a verdade é que Cristiano Ronaldo, que nunca foi um jogador de excelência na selecção nacional, tem mostrado no seu Real Madrid que se não é melhor que Messi é, verdadeiramente, tão bom quanto ele. Era bom que o Ronaldo de Madrid fosse, também, o Ronaldo de Portugal.

Esta selecção nacional está muito, demasiado até, dependente de Cristiano Ronaldo. Veja-se os jogos em que Ronaldo não joga para se perceber que se está perante duas selecções diferentes: a selecção com Ronaldo e a selecção sem Ronaldo. Mesmo quando apagado, a selecção com Ronaldo é muito mais incisiva e mortal. A selecção sem Ronaldo tende a banalizar-se e, até mesmo jogadores acima da média, como João Moutinho, tendem a desaparecer.

Para ajudar a este estado de coisas, a aversão de Paulo Bento, o seleccionador, à mudança, também não traz grandes esperanças. É certo e sabido que, por ali, não haverá revoluções. Jogam os que jogam (os mesmos jogadores), estejam, ou não, em forma. É desmotivador para quem não faz parte do lote dos eleitos e pouco assertivo para quem tem lugar cativo – é aliás uma banalidade os treinadores dizerem que não há lugares cativos nas equipas, quando toda a gente vê, e percebe, que os há.

E basta olhar para os eleitos de Paulo Bento para estes dois importantes jogos. Há, claro, a surpresa de William Carvalho. Mas a escolha do sportinguista só é possível pela ausência forçada de Danny. De resto… Até Eduardo voltou a ser chamado.

De qualquer forma espera-se que Paulo Bento tenha razão, e que estes jogadores sejam, realmente, os melhores e os que dão maiores garantias; que Rui Patrício não cometa os mesmos erros que tem cometido; que Pepe e Bruno Alves estejam intransponíveis; que o velho triângulo do meio campo não se desmonte; e que os extremos alimentem bem Hélder Postiga que, contra tudo e contra todos, continue a marcar golos. E, acima de tudo, que Cristiano Ronaldo mostre a Joseph Blatter que merece ser reconhecido como o melhor do mundo.

A Selecção Sueca

Se a selecção portuguesa vive, e muito, de Cristiano Ronaldo, o que dizer da selecção sueca? Esta selecção é, praticamente, Ibrahimovic. É claro que é-se injusto ao fazer-se uma afirmação destas e não está a ser-se politicamente correcto porque uma equipa são 11 jogadores mais os suplentes que por vezes até viram e transformam resultados e trazem alma renovada a jogos enfadonhos. Mas, contudo, não deixa de ser verdade. Tira-se Ibrahimovic e o que fica? Uma equipa forte, competente, mas sem chama, sem alma, sem génio – meio a brincar, meio a sérios, um pouco como a selecção portuguesa e Ronaldo, se bem que, mesmo assim há

Alemanha - Suécia 2012

A Suécia protagonizou, contra a Alemanha, um jogo de loucos que terminou empatado a 4 golos.

mais jogadores acima da média na selecção de Portugal que na selecção da Suécia.

Mas a favor da Suécia joga a história. Nos 15 confrontos que já levam as duas selecções, Portugal venceu por 3 vezes, empatou por 6 e perdeu por outras tantas vezes. De referir que, em território nacional, nunca a selecção portuguesa conseguiu levar de vencida os suecos. E os 3 últimos encontros terminaram empatados. O último confronto entre Portugal e Suécia data de 28 de Março de 2009, no Estádio do Dragão, onde uma selecção portuguesa comandada por Carlos Queiroz, e com Cristiano Ronaldo, não conseguiu melhor que um nulo contra uma Suécia sem… Ibrahimovic.

A selecção nórdica tem, também, no seu historial, um quarto lugar no Campeonato do Mundo de 1938, em França, dois terceiros lugares nos Campeonatos do Mundo de 1950, no Brasil, e de 1994, nos Estado Unidos, e um segundo lugar no Campeonato do Mundo de 1958, realizado na Suécia e ganho pelo Brasil. Coincidências.

Portugal precisa, e quer ganhar. A Suécia também. E é preciso não esquecer que esta Suécia é a mesma que, em dois jogos contra a Alemanha conseguiu marcar 7 golos.

Equipas Prováveis

Selecção de Portugal: Guarda-redes – Rui Patrício; Defesas: João Pereira, Pepe, Bruno Alves e Fábio Coentrão; Médios – Miguel Veloso, Raul Meireles e João Moutinho; Avançados – Cristiano Ronaldo, Nani e Hélder Postiga.

Selecção da Suécia: Guarda-redes – Andreas Isaksson; Defesas – Mikael Antonsson, Per Nilsson, Martin Olsson e Rasmus Elm; Médios – Sebastian Larsson, Anders Svensson e Pierre Bengtsson; avançados – Zlatan Ibrahimovic, Alexander Kacaniklic e Ola Toivonen.

If you’re importing notes, though, they’ll need to be in plaintext or markdown format or already have a peek at the page in moccanote’s file format

Outros Artigos Recomendados

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *