Última Hora

• Nenhum artigo encontrado
Riccardo Montolivo

As Ausências do Mundial

Não se podia esperar outra coisa, tendo em conta que uma grande parte dos seleccionadores dos países que vão estar no Campeonato Mundial de 2014, no Brasil, resolveu convocar jogadores que estavam lesionados, em fase de recuperação ou que tinham acabado de ser recuperados. Tudo isto fruto de um ano desgastante nos vários campeonato da Europa (onde joga o grosso dos grandes jogadores mundiais) e das intensas competições da UEFA.

Não querendo defraudar os espectadores que vão, sempre, correr atrás das estrelas, e mesmo pensando que, muitas delas, por vezes, em baixa de forma, acabam por ser importantes no conjunto da equipa e, várias vezes até, mesmo diminuídos, acabam por ser bem melhor que os outros jogadores da mesma equipa, os seleccionadores acabaram por os escolher pensando na ínfima possibilidade de recuperação, na galvanização do grupo ou mesmo do milagre de última da hora.

Portanto, pode dizer-se que foi uma opção comum a quase todos os seleccionadores. Alguns tiveram a sorte do lado deles. Outros ainda vivem na esperança (como é o caso de Paulo Bento, na selecção portuguesa, com os jogadores Cristiano Ronaldo e Pepe). Outros ainda, viram as suas escolhas não darem bons resultados. Estes são os casos mais recentes de afastamento do Mundial por lesões que se agravaram, por lesões mesmo durante os jogos amigáveis ou ainda em treinos, e que obrigaram os seleccionadores a trocaram-nos por jogadores que estavam de prevenção.

Os Lesionados

Já é grande o lote de países que teve de alterar a sua lista de convocados por causa das lesões. Alguns, já nem sequer fizeram parte da lista de convocação.

A Selecção de Espanha já tinha ficado sem dois dos seus elementos, antes mesmo da convocatória, com os jogadores a sofrerem lesões incapacitantes durante os campeonatos nacionais. O guarda-redes Victor Valdés, do Barcelona, aliás, que era do Barcelona, mas que tinha resolvido não renovar contrato, pois queria buscar outros desafios, acabou por se lesionar, não ir ao Mundial, e não ter clube numa altura muito complicada da sua vida. O outro jogador foi Thiago Alcântara, do Bayern Munique, que também se lesionou gravemente, foi operado ao joelho e deixou escapar um sonho de criança, de ir ao Campeonato do Mundo.

Marco Reus

Marco Reus foi a última baixa na selecção alemã

Já a Selecção da Alemanha, cujo o seleccionador Joachim Löw já tinha descartado, antes da convocatória, o defesa Marcel Schmelzer, do Borussia Dortmund, este não por lesão, mas por opção técnica, acabou de perder também Marco Reus, também do Borussia Dortmund, por lesão contraída no jogo amigável da última Sexta-feira com a Selecção da Arménia, e que os alemães acabaria por vencer por 6 a 1. Reus será substituído por Shkodran Mustafi, do Sampdoria.

Também a Selecção da Colômbia já tinha perdido o seu melhor avançado, ainda antes da convocatória. Radamel Falcao já se tinha lesionado durante o campeonato francês, ao serviço do Mónaco, em Janeiro passado.

Na Selecção da Holanda, a grande baixa é Rafael van der Vaart, do Hamburgo, que acabou lesionado durante um treino e terminou riscado da lista dos pré-convocados por Louis van Gaal. Mas já antes, a Holanda se tinha visto privada de Kevin Strootman, do Roma, fora da selecção por lesão grave no joelho esquerdo. E também Gregory van der Wiel, do PSG, ficou de fora, mas esse por opção do seleccionador Louis van Gaal.

O jogador inglês Theo Walcott, do Arsenal, também se lesionou, com uma ruptura de ligamentos, no já longínquo mês de Janeiro, mas o suficiente para o afastar dos relvados por 6 meses e, consequentemente, da Selecção de Inglaterra.

Matías Fernández, da Fiorentina, foi operado, em Maio último, ao joelho direito, o que também o afastou da Selecção do Chile e do Mundial do Brasil.

A Selecção de Itália perdeu também o médio Riccardo Montolivo, do AC Milan, após uma fractura do perónio sofrida num jogo amigável com a República da Irlanda, no final de Maio, no fim-de-semana antes do anúncio dos 23 jogadores convocados para o Mundial, jogo esse que acabaria empatado a zero golos. Também Giuseppe Rossi, da Fiorentina, acabou sendo afastado pelo seleccionador italiano, após o mesmo jogo, por a sua forma física não agradar aos responsáveis técnicos.

Franck Ribéry

Franck Ribéry, um dos melhores jogadores do Mundo, foi a grande contrariedade da selecção francesa

Já na Selecção de França, Franck Ribéry, que tinha sido convocado lesionado, acabou por não conseguir recuperar dessa lesão e acabou, também, por ser substituído na lista final da selecção francesa por Rémy Cabella, do Montpellier. O mesmo se passou com Clément Grenier, do Lyon, que não conseguiu recuperar de uma lesão e acabou substituído por Morgan Schneiderlin, do Southampton. Também já anteriormente Steve Mandanda, do Marseille, tinha abandonado a lista dos 23 eleitos ao sofrer uma lesão no pescoço no último jogo do campeonato francês ao serviço da sua equipa.

Também a Selecção do México teve o seu desastre. Luis Montés, do Club León, sofreu uma lesão num jogo amigável contra a Selecção do Equador, de preparação para o Mundial, e acabou de muletas e sendo substituído por Javier Aquino, do Villarreal.

Também a primeira equipa a entrar no Mundial em jogo com a selecção da casa, a Croácia, teve as suas contrariedades, e a primeira delas a ausência de Niko Kranjcar, do Queens Park Rangers, que se lesionou gravemente num jogo da Championship ao serviço da sua equipa. Não foi caso único na Selecção da Croácia. Já anteriormente Ivan Strinic, do Dnipro, e Ivo Ilicevic, do Hamburgo, tinham sido afastados da convocação para a selecção croata por se terem lesionado ao serviço dos seus respectivos clubes.

Jürgen Klinsmann, o alemão seleccionador dos Estados Unidos, e que deixou de fora o melhor goleador americano, Landon Donovan, por opção técnica, também perdeu o jogador Stuart Holden, do Bolton, por se ter, também, lesionado gravemente durante a época ao serviço do seu clube.

Por último, também a Costa Rica não escapa ao problema das lesões. Alvaro Saborio, avançado costa-riquenho ao serviço dos norte-americanos Real Salt Lake, falha o Mundial por lesão, indo juntar-se ao seu compatriota, Bryan Oviedo, do Everton, que também já se tinha lesionado gravemente.

E se Falham os Melhores?

Este é, portanto, um Mundial já sem muitos dos melhores jogadores do Mundo, a braços com graves lesões contraídas durante a normal época futebolística. E o afastamento de Franck Ribéry, um dos finalistas para Melhor Jogador do Mundo, veio lançar o alerta: o que aconteceria ao Campeonato do Mundo se faltassem as suas mais cintilantes estrelas?

Lionel Messi

Lionel Messi, o craque argentino tem vomitado no campo, e ninguém sabe muito bem porquê

É de se lembrar que Cristiano Ronaldo, que acabou por falhar alguns dos últimos jogos do Real Madrid, ainda não jogou pela Selecção de Portugal por estar em tratamento de recuperação, estando, ainda, em dúvida a sua utilização frente à Selecção da Alemanha no jogo de estreia dos portugueses no Mundial.

Também Lionel Messi, um dos dois melhores jogadores do Mundo, a par de Cristiano Ronaldo, e a estrela da Selecção da Argentina, tem andado a vomitar dentro de campo, não se sabendo muito bem o que se passa. Mas com toda a gente à espera que não seja nada. E que Cristiano Ronaldo recupere para que os dois melhores jogadores do Mundo façam magia nos campos brasileiros e façam deste Campeonato do Mundo um dos melhores e mais interessante torneios de futebol de sempre.

Greater access imperative hyperlink to large content repositories for teachers, and customized instruction for students

Outros Artigos Recomendados

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *