Última Hora

• Nenhum artigo encontrado
Uruguai

As novas guerras na América do Sul

Amanhã, Sábado, dia 28 de Junho, recomeça o Campeonato do Mundo de 2014, agora numa outra fase, os oitavos-de-final, depois da selecção conseguida na fase de grupos.

Muitas foram as surpresas. Más e boas. As más coleccionam possíveis candidatos ao título que não conseguiram seguir em frente, como as selecções de Espanha, Inglaterra e Itália, ou ainda, outras selecções com mais ambição que o ficarem-se pela apresentação inicial, como as selecções de Portugal, da Rússia ou da Costa do Marfim. Mas também houve as boas. A Costa Rica, o México, o Chile, a Colômbia e a Argélia, para além das já mais previsíveis Holanda, França e Uruguai.

Mas aconteça, o que acontecer, amanhã vai ser um dia de guerra continental. O Norte contra o Sul e o Leste contra o Oeste. Tudo América do Sul. 2 certezas nisto tudo: 2 equipas sul-americanas vão passar aos quartos-de-final. E 2 outras equipas sul-americanas vão ficar pelo caminho.

Amanhã defrontam-se, às 17:00′ de Portugal continental, a Selecção do Brasil (Leste) com a Selecção do Chile (Oeste) e, às 21:00′ de Portugal continental, a Selecção da Colômbia (Norte) com a Selecção do Uruguai (Sul). Um dia inteirinho da América do Sul.

A Colômbia, que se apresentou como uma das grandes surpresas deste Mundial, vai medir forças com os consistentes uruguaios, responsáveis pela maior desgraça desportiva que o Brasil já sofreu ao ganhar o troféu de campeão do Mundo, em pleno Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, no Mundial de 1950.

A selecção colombiana, que está, aqui, na sua 5ª participação em campeonatos do mundo, e nos quais, a melhor qualificação que teve foi no Mundial de 1990, em Itália, onde conseguiu passar, tal como hoje, aos oitavos-de-final. Aí seria derrotada pela selecção dos Camarões, após prolongamento, por 2 a 1, com os dois golos da selecção camaronesa a serem marcados por Roger Milla. Hoje a Colômbia é uma selecção bastante forte, que conta com jogadores de nomeada, como Cristian Zapata, do AC Milan, James Rodríguez, do Mónaco, Fredy Guarín, do Inter, Juan Cuadrado, da Fiorentina, Carlos Bacca, do Sevilha, Adrián Ramos, do Borussia de Dortmund e Juan Quintero e Jackson Martinez, ambos do FC Porto. Com um futebol bastante aguerrido, de tendências muito atacantes, a selecção colombiana sob a batuta de José Pékerman quer ir longe, e tem condições para isso. Assim o permitam os uruguaios.

Fary Mondragón

Fary Mondragón, a consagração aos 43 anos e 3 dias de idade

A selecção uruguaia é de outro campeonato. Antiga campeão do Mundo por 2 vezes, em 1930, em casa, e em 1950, no Brasil, tem também no seu currículo 3 quartos lugares, no Campeonato do Mundo de 1954, na Suíça, no Campeonato do Mundo de 1970, no México, e no Campeonato do Mundo de 2010, na África do Sul, num conjunto de participações em mundiais que, aqui, no Brasil, já faz a bela quantia de 12. Esta selecção conta, também, com uma equipa de luxo, onde estão jogadores como Martín Cáceres, da Juventus, Maxi Pereira, do Benfica, Jorge Fucile, do FC Porto, Álvaro González, do Parma, Edison Cavani, do PSG, Diego Forlán, do Cerezo Osaka, e Diego Godín, José Maria Giménez e Cristian Rodriguez, os três do Atlético de Madrid, pra já não falar do castigado Luis Suárez, do Liverpool. Esta equipa foi escolhida por Óscar Tábarez, treinador que já passou pelo Peñarol, Deportivo de Cali, Boca Juniors, Cagliari, AC Milan e Real Oviedo, e que já conquistou, em 1983, o Jogos Pan-Americanos com a selecção uruguaia de sub-20, em 1987, a Taça Libertadores com o Peñarol, em 1992, o Campeonato Masters da Supercopa e o Campeonato da Argentina, com o Boca Juniors, e, em 2011, a Copa Amérca, com a selecção do Uruguai.

Adivinha-se um jogo forte, duro, mas bem disputado, por duas selecções que não querem ir para casa mais cedo, e que tudo farão para ganhar o jogo dos oitavos-de-final.

A Colômbia, contudo, já leva na bagagem o recorde de jogador mais velho a actuar no Campeonato do Mundo. Faryd Mondrágon, hoje com 43 anos e três dias de idade, bateu um recorde que pertencia ao camaronês Roger Milla. Mondragón fez o seu primeiro Mundial em 1990, no Campeonato do Mundo de Itália. Agora que voltou à baliza da selecção do seu país, Faryd Mondrágon também afirma que em “relação a como estamos a jogar e a actuar como uma equipa, também estamos a fazer história.”

O Uruguai também já algo na bagagem, mas é o duro castigo de 9 jogos e ausência de 4 meses de eventos desportivos a Luis Suárez, por ter mordido um adversário. E a falta que Suárez agora lá fará.

Portanto, o jogo de amanhã será como que uma guerra, onde uma das equipas sairá vitoriosa, e a outra derrotada. Será um Norte contra Sul, na América do Sul. Que terá menos um representante nos quartos-de-final.

Die versorgungsflugzeuge starteten von acht flugplätzen in den westzonen, die navigieren Sie zu dieser Web-Seite meisten von frankfurt am main

Outros Artigos Recomendados

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *