Última Hora

• Nenhum artigo encontrado
wilmots

Bélgica continua na busca pelo sonho

A Selecção da Bélgica venceu ontem a Selecção da Coreia do Sul, por um golo, num jogo que serviu para solidificar a passagem dos belgas até aos oitavos de final  -  que passaram a fase de grupos em primeiro lugar, com nove pontos, dentro do Grupo H, e garantiram pela primeira vez na sua história, a vitória em todos os jogos ainda na fase de grupos, num Campeonato do Mundo. De lembrar que antes de jogar contra a Coreia do Sul, a Bélgica tinha ganho à Selecção da Argélia por 2-1, e à Selecção da Rússia por 1-0.

O reencontro entre Marc Wilmots e Hong Myung-Bo, – quase 20 anos depois de se terem defrontado na fase de grupos do Mundial de 1998 (na altura, enquanto jogadores) – onde os belgas já estavam classificados para a segunda fase do Mundial 2014, levou a que o treinador dos “diabos vermelhos” se pudesse dar ao luxo de poupar alguns dos jogadores, tendo feito sete alterações face ao último encontro -Kompany, Vermaelen, De Bruyne, Hazard, Lukaku, Alderweireld e Witsel ficaram no banco (os dois últimos em risco de falhar o próximo jogo, caso vissem cartão amarelo), dando lugar a nomes como Vanden Borre, Defour, Mirallas, Janujaz ou Dembelé.

Com luxos ou não, foi uma Bélgica preguiçosa – que apesar de se encontrar em primeiro lugar no grupo ficou aquém das expectativas dos adeptos e restante público, que apontava a equipa como um dos grandes neste Mundial – quem superou uma Coreia do Sul que, mesmo tentando, não teve qualidade suficiente para inaugurar o marcador.

Na conferência de imprensa que se seguiu ao jogo, o treinador, Marc Wilmots, mostrou-se incomodado com a pergunta de um jornalista a respeito do estilo de jogo da equipa, menos técnico do que o esperado, ao que Wilmots rapidamente se apressou a responder, que , independentemente da forma como jogaram, o que interessava era que os belgas tinham tido 100% de aproveitamento e chegaram aos oitavos de final com o melhor desempenho da história do país na etapa inicial de um Mundial.

“O que quer dizer jogar de forma bonita? Eu assisti ao jogo do Brasil contra a Croácia, e não achei que a selecção brasileira tenha sido excepcional. Todos os jogos são baseados em táctica, aptidão física… As coisas mudam. O que importa para mim é vencer, independentemente do estilo de jogo. Estamos aqui para jogar contra as melhores selecções do mundo, e paga-se caro pelos erros. Temos 23 excelentes jogadores e podemos surpreender outras equipas. Cumprimos a nossa missão com nove pontos, e isso nunca tinha acontecido. Estamos prontos para chegar aos quartos de final.” – argumentou.

Questionado ainda sobre as mudanças nos 11 titulares e a expulsão de Defour, – a Bélgica jogou com menos um jogador durante toda a segunda parte – o seleccionador, foi mais uma vez, assertivo nas palavras.

“Eu não vi bem o que aconteceu (sobre a expulsão de Defour). É uma pena para o Steven. Estávamos a jogar muito bem, a ideia era utilizar novos jogadores, uma nova formação. Estávamos a acostumar-nos com o jogo, mas recebemos um cartão vermelho (…) e decidimos actuar mais voltados para a defesa, fechando o meio-campo, e deixando as laterais livres. É uma questão de paciência, de não ter pressa. Tínhamos velocidade, e sabíamos que os coreanos tinham de atacar e encontrar espaço. (…) Todos jogaram, com excepção de um ou outro jogador. (…) Poupei quem achei que deveria poupar. Estão todos ao mesmo nível, preparados e equipados. O objectivo é ganhar todos os jogos, e hoje fizemos isso com 10 jogadores. Veremos nos oitavos de final.” – declarou.

 Relativamente à táctica a utilizar, e aos 11 titulares no jogo frente aos Estados Unidos, o seleccionador não se quis pronunciar muito.

“Vou aguardar. Vamos treinar com jogadores que não tiveram oportunidade de jogar hoje. Vamos continuar a preparar-nos. Também quero surpreender o adversário.” – concluiu.

De presença marcada nos oitavos de final, os belgas jogam já pela passagem aos quartos de final, contra os Estados Unidos, na próxima terça-feira, pelas 17h, na Fonte Nova, Salvador.

A última vez que os belgas disputaram um Campeonato do Mundo foi em 2002, quando foram eliminados nos oitavos de final, pela selecção brasileira.

Capitão da Bélgica festeja passagem aos oitavos de final

O capitão da equipa belga, Jan Vertonghen, já estava satisfeito só de usar a braçadeira no Mundial, e nem queria acreditar quando  lhe coube a honra de marcar o golo da vitória no jogo frente à Coreia do Sul, aos 32 minutos da segunda parte.

“É muito especial (jogar como capitão), principalmente num Campeonato do Mundo. Representar o país dessa forma, e ainda fazer um golo, é maravilhoso.” – disse.

essaydragon.com/ essay writer

Outros Artigos Recomendados

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *