Última Hora

• Nenhum artigo encontrado
Fabio Capello

Da Rússia com amor

Por estes dias, a Selecção da Rússia é uma equipa que não tem dado muito nas vistas, para além do banho de multidão que tem tido nos treinos de porta aberta e o povão, que gosta destas coisas, tem ocorrido em massa.

Mas os russos entram hoje em jogo, às 23:00′ de Portugal continental, com a Coreia do Sul, no Arena Pantanal, em Cuiabá. Por isso, não dá mais para fugir, montar no low profile, e conseguir fugir entre as gotas de chuva.

Assim, lá veio o capitão da armada russa, Vasily Berezutskiy, dizer que a verdadeira e única estrela da companhia é Fabio Capello, vencedor em Itália e Espanha, vencedor da Liga dos Campeões, e, acima de tudo, italiano.

Para tirar pressão dos ombros russos? Não, na verdade, Berezutskiy tem razão. Não que uma grande parte dos jogadores russos não seja conhecida, são até mesmo estrelas na Rússia mas, desde que o dinheiro começou a abundar na terra de Putin, os melhores jogadores russos deixaram de vir jogar para a Europa mais ocidental, com campeonatos mais mediáticos, e deixaram-se ficar na Mãe Rússia, o que os afastou das luzes da ribalta globalizante. Não deixaram de ser grandes jogadores, simplesmente deixaram os media e, consequentemente, o reconhecimento Mundial. Mas eles também acabam por cultivar esse ar de estranhos, desconhecidos, invisíveis até. E é assim que prosseguem a sua cavalgada imparável, como se viu durante a campanha de apuramento para o Mundial, em que Portugal seguiu sempre atrás, sem conseguir vislumbrar uma qualquer aproximação.

Mas como o próprio Fabio Capello afirmou na conferência de imprensa de antecipação ao jogo de hoje com os sul-coreanos, não é importante saber os nomes dos jogadores, mas sim as suas características. E isso também se encaixa na sua equipa. Podemos não lhes conhecer os nomes, mas temos conhecido os feitos e efeitos e, se é verdade que há muito tempo que os russos não são uma ameaça futebolística nos grandes palcos internacionais, também é verdade que este ano, e com Fabio Capello ao leme, tudo se afigura diferente. Aliás, para o seleccionador, a importância deste Mundial é crucial porque antecede o Mundial de 2018 que a Rússia vai ter o privilégio de organizar e, com isso, todas as responsabilidades que lhe estão associadas. Mas para já, este é o Mundial e, segundo Kerzhakov, a Rússia é uma das candidatas à vitória.

Kerzhakov

Para Kerzhakov, a Rússia pode ser campeã do Mundo

Se se pensar que a Rússia, que é um colosso económico, esteve fora das fases finais nos últimos dois Mundiais, a sua última participação fora em 2002, no Campeonato do Mundo da Coreia do Sul/Japão, no qual tiveram uma fraca prestação, e com quem, ironicamente irão hoje inaugurar a sua participação neste Mundial, é de esperar uma equipa cheia de ganas de ganhar e brilhar, para mostrar ao Mundo que podem contar com eles para baralhar as contas dos sempre possíveis candidatos. E, como garante ainda Kerzhakov, dar motivos de orgulho ao adeptos russos. Aliás, Kerzhakov ainda vai mais longe e diz que a selecção russa não tem astros Mundiais como Lionel Messi ou Cristiano Ronaldo, mas também por isso não estão dependentes de ninguém, são uma equipa e funcionam como tal. Mas termina dizendo que não desdenharia ter os craques argentino e português na sua equipa.

Vem, pois, com muito amor, esta equipa russa ao Brasil, para poder mostrar que também são gente. Gente boa e capaz.

Educators nationwide are becoming increasingly aware that high school diplomas visit the URL too often leave young adults unprepared for college

Outros Artigos Recomendados

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *