Última Hora

• Nenhum artigo encontrado
Estádio Mineirão

Estádio Mineirão

O Estádio do Mineirão ou Estádio Governador Magalhães Pinto, como foi nomeado aquando da sua construção, é o principal estádio de Belo Horizonte e do estado de Minas Gerais. Casa do Cruzeiro Esporte Club, este estádio foi reestruturado de forma a poder receber o Campeonato do Mundo de Futebol de 2014 que acontecerá no Brasil, tendo Belo Horizonte como uma das cidades sede.

Antigo Estádio Governador Magalhães Pinto

A ideia de construir um novo estádio em Bolo Horizonte surgiu quando os três clubes do estado de Minas Gerais – o Atlético Mineiro, o Cruzeiro e o América começaram a ter outro impacto no futebol brasileiro. Foi ainda na década de 30, mais precisamente em 1937 que o Atlético Mineiro conquistou o seu título de Campeão dos Campeões do Brasil, procurando a partir daí, em conjunto com o governo estatal, a construção de um estádio ao nível do futebol praticado e que oferecesse as melhores condições quer às equipas como aos espectadores.

Cidade Sede Belo Horizonte

Flyer Cidade Sede – Belo Horizonte

No entanto todas as ideias apenas começaram a sair para o papel apenas no inicio da década de 50, sendo que a primeira a ganhar forma foi a de construir o novo estádio à beira da interestadual BR-040 junto à Avenida Nossa Senhora do Carmo. Tendo esta ideia como principal impulsionador o presidente da Federação Mineira de Futebol – Francisco de Castro Cortes, chegaram a ir arquitectos envolvidos na construção do Maracanã a Belo Horizonte observar o locar onde seria construído o novo estádio.

Mas esta ideia não chegou a sair do papel, muito graças a António Abrahão Caram, presidente da Direção Regional do Desporto que conseguiu através de factos inviabilizar a ideia de construir o novo estádio naquela zona mais central da cidade e desloca-lo para uma zona mais afastada, já na região da Pampulha. O estádio começou então a figurar-se em 1959 num terreno cedido pela universidade de Minas Gerais. A construção do estádio iniciou-se então supervisionada pela entidade criada para o efeito, a AEMG. Nos primeiros tempos os problamas monetários foram os maiores, com o emprestimo inicial a ser gasto logo nas fundações para o novo reduto. A empresa de gestão do estádio passou então algum tempo a conseguir um novo apoio monetário por parte do governador Magalhães Pinto, e enquato isso peritos inspecionavam o Maracanã em busca de qualquer tipo de falhas de modo a serem evitadas no novo estádio. Em 1964 Gil Abreu, estudande de engenheiria na universidade de Minas Gerais, deslocou-se a Tóquio com o objectivo de aprender algo novo com os estádios que foram construídos para as Olímpiadas, e os resultados foram positivos visto que se verificaram alguns avanços tecnologicos nos campos japoneses que foram

tidos em conta no Mineirão, como a qualidade da relva e das balizas, entre muitos outros pormenores. Ainda assim a dificuldade dos engenheiros em perceber como iriam instalar a cobertura nas bancadas foi o principal obstáculo imposto aos engenheiros que fizeram maquetes onde testaram tudo, desde a montagem à sustentabilidade da estrutura com 275 metros de comprimento. Por esta altura a nova estrutura era já um fardo para o estado de Minas Gerais, quer em termos monetários quer em termos temporais pois a obra já se arrastava por mais de cinco anos. Foi então contratada e especializada mão de obra que Gil Abreu organizou em três grupos de trabalho de forma a que a construção prosseguisse 24 horas por dia. Desde este momento, a restante construção do estádio durou apenas por mais oito meses, estimando-se que trabalharam mais de 7.200 operários neste projecto, com um número recorde de apenas uma morte.

O primeiro jogo no novo estádio de Minais Gerais aconteceu a 5 de Setembro de 1965 entre a seleção de Minas Gerais e o River Plate da Argentina e terminou com uma vitória os homens da casa por 1-0. Este estádio foi ainda, em 1976 palco da segunda mão da final da Taça Intercontinental que foi disputada entre Cruzeiro e Bayern de Munique e que a equipa brasileira viria a perder ao empatar a uma bola depois de ser derrotada na Alemanha por 2-0.

O Novo Estádio Mineirão

Com o âmbito de receber o Mundial de Futebol de 2014 o estádio de Minas Gerais sofreu algumas obras de recuperação e expansão tecnológica. O nível do relvado foi descido e novas e maiores coberturas foram instaladas de forma a garantir o conforto ao público desde as bancadas mais superiores às mais inferiores. Estas reestruturações do estádio valeram-lhe a perca de cerca de 10.000 lugares de assistência, passando agora a ter 64.000 cadeiras disponíveis.

Estádio Governador Magalhães Pinto

O antigo Estádio Governador Magalhães Pinto

Também foram adaptadas medidas de sustentabilidade na reconstrução do edifício, através de um conjunto de painéis solares, bem visíveis na parte superior da cobertura, e um sistema de recolha e armazenamento de águas pluviais com capacidade para 6.270.000 litros de água que poderá, depois de tratada, ser utilizada quer nos balneários, quer na rega do relvado e dos espaços envoltos.

Não foi só o estádio que sofreu reestruturações. Também toda a área circundante ao reduto foi reformulada de forma a permitir a paragem de cerca de 400 autocarros que farão ligação com o centro da cidade nos dias dos jogos. Também foi construída uma esplanada com cerca de 80.000 m² e capacidade para mais de 65.000 pessoas, que mesmo em dias comuns poderá ser visitada e servirá os visitantes, tudo isto complementado com 2.878 lugares de estacionamento divididos por uma àrea coberta (1756 lugares) e por uma zona ao ar livre com capacidade para 1.122 automóveis.

Reinaugurado a 21 de Dezembro de 2012 por Dilma Rousseff, o novo Mineirão viu acontecer o primeiro jogo no seu relvado a 3 de Fevereiro do ano seguinte disputado entre o Atlético Mineiro e o Cruzeiro na jornada de abertura do Campeonato Mineiro. Já depois disso, durante o Verão o estádio foi palco para três partidas da Taça das Confederações, as duas primeiras ainda da fase de grupos realizadas entre Taiti e Nigéria (1-6) e o Japão e o México (1-2) e a terceira entre o Brasil e o Uruguai, a contar para as semi-finais da prova que terminou com vitória para os brasileiros por 2-1.

O Mineirão Depois do Mundial

Depois de realizadas as 6 partidas da maior prova de futebol do Mundo, entre elas 4 da fase de grupos, uma dos dezasseis avos de final e outra das semi-finais, o Estádio Mineirão regressará ao seu quotidiano, sendo casa do mais titulado clube de Minas Gerais – o Cruzeiro, o estádio receberá partidas das mais diversas competições nacionais e internacionais, sendo as mais regulares as dos campeonatos nacionais e regionais, em especial do Brasileirão, da Copa do Brasil e do Campeonato Mineiro.

For example, two schools https://www.overnightessay.co.uk/ may share similar aggregate test scores and student demographics, but exhibit stark differences in student higher education outcomes

Outros Artigos Recomendados

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *