Última Hora

• Nenhum artigo encontrado
Deschamps

França preparada para encarar a Alemanha

No meio de um Campeonato do Mundo imprevisível, onde resultados inesperados e jogos altamente disputados são o “prato do dia”, torna-se difícil falar sobre ter uma equipa favorita, e é esse clima de equilíbrio que deixa o seleccionador francês, Didier Deschamps, ciente das capacidades da sua equipa, mas também apreensivo quanto às qualidades da equipa adversária.

“Dizer que a Selecção da Alemanha é superior seria pretensão a mais. Tenho uma equipa com boa capacidade de evolução, com grande intensidade, e bem preparada fisicamente, e isso é importante durante um Campeonato do Mundo.” – disse Deschamps, durante uma conferência de imprensa em Ribeirão Preto, ontem.

No entanto, e quando questionado sobre a suas expectativas quanto ao jogo frente à Selecção da Alemanha, um dos rivais mais fortes que os franceses terão de enfrentar neste Mundial, o treinador francês manteve-se humilde, e preferiu não arriscar um resultado –  de lembrar que a Selecção da França foi eliminada pela Alemanha nas semi-finais do Campeonato do Mundo em 1982, nos penaltis, e em 1986, o mesmo aconteceu, com os “Bleus” a serem derrotados pelos alemães, por 2-0.

“Eu sou realista, só isso. O que é que querem que eu diga? (…) Que vou ganhar na sexta-feira? A realidade é a Alemanha. Vamos pensar primeiro no jogo da sexta-feira.” – afirmou.

Quem parece concordar com o treinador francês é Olympique, médio da selecção francesa.

Mesmo depois da classificação em primeiro lugar no Grupo E, ainda na fase de grupos, o jogador tem noção que os desafios vão sendo cada vez mais complicados, à medida que as equipas vão avançando na competição. Em entrevista ao site da Federação Francesa de Futebol, Olympique reconhece que a Selecção da Alemanha não será de todo um adversário fácil de vencer – onde destaca a frente de ataque da equipa – ainda assim, crê que a França tem condições de superar os alemães nos quartos de final.

“A Alemanha é uma nação que está sempre nas fases finais dos grandes torneios. Eles estão sempre entre os quatro melhores. Sabe-se que o ataque deles é forte. Quanto mais longe vamos na competição, quanto mais nos aproximamos da final, mais os jogos se tornam complicados. A Alemanha é uma referência. Será um jogo difícil. (…) Agora não vamos mudar a nossa filosofia. Vamos manter o nosso estado de espírito, que é o que nos dá força.” – concluiu.

Já Matuidi e Mamadou Sakho – que acompanharam essencialmente a época de ouro do futebol francês, com jogadores como Zinedine Zidane, e treinadores como o actual Deschamps, negam que as derrotas do passado – tão faladas nestes dias na imprensa francesa – vão influenciar a motivação para o jogo de amanhã.

“Tenho boas lembranças dos nossos jogos. Lembro-me do ano de 1998, quando fomos campeões, e de 2006. Estou a falar de um passado recente. Claro que não podemos esquecer os anos de 1982 e 1986, mas nessa altura eu ainda não tinha nascido. Para mim, vestir a camisola da Selecção da França é motivo de orgulho. Quero defendê-la, e não preciso de invejar qualquer outra nação pelas suas conquistas ou derrotas.” – comentou Matuidi.

Sakho concordou.

“Em 1982 e 1986 eu nem sequer era nascido. Já me falaram desses jogos, conhecemos a história, mas não posso falar grande coisa. É outro jogo.” – concluiu o defesa, agora recuperado de uma lesão muscular na perna que o impediu de jogar contra a Selecção da Nigéria.

Relativamente aos 11 titulares da França para o jogo de sexta-feira, crê-se que os “Bleus” devam entrar em campo contra a Alemanha num sistema de 4-4-2, com Lloris, Debuchy, Varane, Sakho, Evra, Cabaye,  Matuidi, Pogba, Valbuena, Benzema e Griezmann.

A equipa viajou ontem para o Rio de Janeiro, onde treinará hoje, a partir das 14h30 , sendo que o jogo contra a Alemanha, tem lugar no Maracanã, amanhã, a partir das 13h, a propósito dos quartos de final.

 Recuperado, Sakho elogia Muller

Sakho

Sakho

Recuperado, Sakho deverá jogar amanhã frente à Selecção da Alemanha, a propósito dos quartos de final – lesionado por causa de uma contusão na perna esquerda, o jogador ficou sem jogar contra a Selecção da Nigéria, tendo voltado ao ritmo normal dos treinos esta semana.

Caso entre em campo, o jogador do Liverpool terá de marcar Thomas Müller, avançado da Alemanha, autor de quatro golos – só neste Mundial -, e um dos craques da equipa alemã.

Questionado sobre as dificuldades que terá pela frente, o jogador da França afirmou está preparado para enfrentar os alemães, e que apenas não o fará caso não seja essa a vontade do treinador.

“Vou tentar sempre dar o meu melhor. O Thomas Müller é um jogador que tem muito boas qualidades. A defesa estará bem alinhada. Tentaremos fazer um bom jogo para evitar que ele faça golos.” – afirmou Sakho, que deve entrar em campo ao lado de Raphael Varane, também ele recuperado da desidratação que o levou a  ficar internado no hospital, após o confronto com a Selecção da Nigéria, esta segunda-feira passada.

Division eine rationale zahl a wird durch eine rationale zahl b dividiert, indem man den betrag von a klicken Sie auf Ressourcen durch den betrag von b dividiert und das vorzeichen des quotienten gesondert bestimmt

Outros Artigos Recomendados

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *