Última Hora

• Nenhum artigo encontrado
Gianluigi Buffon

Itália sem guarda-redes

O azar é uma coisas dos diabos. Não há antídoto.

Já se falou aqui no Mundial Futebol sobre as opções mais ou menos polémicas de alguns seleccionadores por terem optado por convocar jogadores muito ou pouco lesionados, ou outros em fase de recuperação. E, no seguimento destas decisões, há já diferentes finalizações para alguns dos diferentes casos. Por exemplo, Radamel Falcao, excelentíssimo avançado da Selecção da Colômbia, confrontado sobre a impossibilidade de saber quantos jogos poderia fazer no Mundial, optou por deixar o lugar vago, dando hipóteses a outros jogadores, que em situações normais (estando Falcao a 100%) não poderiam fazer parte de um grupo como o seleccionado, acabando assim por conseguir serem incorporados nessa selecção e, ao mesmo tempo, Radamel Falcao não põe em risco a sua própria saúde com uma recuperação apressada ou começando a jogar cedo demais.

Por outro lado, na Selecção de Portugal, o seleccionador Paulo Bento decidiu convocar Cristiano Ronaldo, mesmo lesionado, confiando, graças à opinião, quer da equipa técnica, quer do próprio jogador, que seria recuperável. A Paulo Bento acabou por lhe sorrir a sorte pois, segundo rezam as últimas notícias, o capitão da equipa portuguesa está completamente recuperado, podendo ajudar a selecção portuguesa, garantindo ao seleccionador que a sua aposta estava ganha.

Mas há casos contrários, como o de Franck Ribéry. Este, tal como Cristiano Ronaldo, também terminou a época futebolística lesionado, mas o seleccionador francês, Didier Deschamps, tal como Paulo Bento, resolveu arriscar e convocar Franck Ribéry para a lista dos 23 jogadores eleitos para a Selecção de França. Mas para Didier Deschamps não houve o sorriso da sorte. Ribéry não conseguiu recuperar a tempo útil, tendo de ser substituído. O que se torna uma situação dramática, vendo-se o jogador tão próximo de seu objectivo e tendo de abdicar dele.

Há, no entanto, ainda outra situação que não é melhor. A do jogador que terminou bem, e em forma, a época futebolística, foi convocado e, quando está quase tudo pronto para iniciar o seu trabalho, lesiona-se. Isto é azar. Mesmo. E é muito chato.

Salvatore Sirigu

Salvatore Sirigu é o segundo guarda-redes italiano lesionado

Pois foi o que aconteceu a Gianluigi Buffon, guarda-redes titularíssimo da Selecção de Itália, que contraiu uma entorse no tornozelo, no último treino da sua selecção, e que está, assim, em dúvida para a partida, de hoje, frente à Selecção de Inglaterra.

Esta é uma contrariedade que pode acontecer a todos os seleccionadores. E, por mais cuidado que se tenha, é algo que pode acontecer e não se pode prever. E aquele que era um dado adquirido para Cesare Prandeli, o seleccionador italiano, acabou por se tornar numa dor de cabeça das grandes. Ainda por cima, porque a lesão de Gianluigi Buffon não é única, e não é um caso isolado. Acontece que Salvatore Sirigu, outro dos guarda-redes italianos também está abraços com uma lesão nas costelas e tem, por isso, falhado os últimos treinos da squadra azzurra.

No dia em que os italianos se estreiam no Campeonato do Mundo do Brasil, em jogo clássico contra os ingleses, no Arena Amazónia, em Manaus, em jogo do Grupo D, Cesare Prandeli só tem à sua disposição o guarda-redes Mattia Perin. Só lhe resta tentar recuperar Buffon e Sirigu, e esperar que Perin não se lesione durante a partida.

It’s an experiential-learning approach, said jeffrey piontek, a science specialist in the hawaii https://essayclick.net department of education

Outros Artigos Recomendados

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *