Última Hora

• Nenhum artigo encontrado
Karagounis Grécia

Karagounis e Fernando Santos despedem-se no adeus grego

A saída da Grécia deste Mundial marca, também, o fim de vários ciclos ligados a esta equipa. Se a saída do treinador Fernando Santos estava há algum tempo anunciada, ontem foi a vez de Karagounis confirmar que, também para ele, estava terminado o caminho junto da seleção helénica.

Karagounis é um dos jogadores mais reconhecidos de sempre na história do futebol grego. Com 37 anos, o jogador vestiu a camisola da seleção em 139 ocasiões, depois de se ter estreado em 1999. Esteve presente no maior feito do futebol do seu país, ao jogar o Europeu 2004, onde a Grécia conquistou o título. No momento de sair, Karagounis foi igual a si próprio, sublinhando que nem sempre se pode beneficiar de momentos tão altos numa vida.

“Saímos deste Mundial com as cabeças erguidas”, afirmou, revelando total confiança “na geração mais nova”, que seguirá no caminho certo depois de ter alcançado história no Mundial. Para Karagounis, “são este tipo de experiências que nos ajudam a ter bases mais sólidas no futuro, esta geração vai-se tornar ainda mais forte e alcançar bons resultados”, sublinhando a importância de cada jogador visto que, “sendo nós gregos, não podemos beneficiar de muitos meios”.

Aqui entronca outra das especificidades da equipa grega, que abdicou de receber os prémios a que teria direito para que sejam aplicados na construção de um centro de estágios.

Um dos seus companheiros foi porta-voz dos sentimentos que se vivem no balneário, num momento especial de despedida. “Ele escreveu as suas próprias páginas de história, tem o recorde de internacionalizações, ganhou títulos, deu tudo o que tinha à equipa e fez todas as concessões necessárias para que tivéssemos sucesso. Deixou-nos um legado para o futuro e pode estar confiante de que o vamos seguir”, disse Sokratis.

Fernando Santos despede-se com expulsão

O treinador português alcançou, no último jogo, o melhor resultado de sempre da Grécia em Mundiais, mas acabou expulso do banco, não podendo estar com a sua equipa no momento da marcação das grandes penalidades. “Não percebi porque fui expulso”, disse Fernando Santos, “quando acabou o jogo entrei em campo com os meus jogadores e o árbitro disse que não o podíamos fazer. Quando lhe perguntei porque existiam regras diferentes para nós, ele mandou-me sair”.

No entanto, essa acontecimento não deixará marca naquilo que foi o excelente percurso da seleção grega na vigência de Fernando Santos. Com qualificações para o Europeu e Mundial, o treinador português manteve a Grécia no topo. Agora, apesar de gostar de regressar à vida de um clube, os rumores apontam que a carreira de Fernando Santos poderá continuar em África, de onde terá recebido uma proposta choruda para liderar uma seleção.

Blumenthal is also seeking allies beyond connecticut, and last week said other states are actively https://pro-essay-writer.com considering joining the suit

Outros Artigos Recomendados

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *