Joseph Blatter

Polémicas do Mundial 2014 no Brasil

A 1 ano de distância do Mundial de Futebol no Brasil, e as polémicas já abundam. São várias e para todos os gostos e feitios, como se de uma novela se tratasse. Na verdade, são várias as novelas e destinadas a horários diferentes e para públicos distintos.

Primeiro, e já há muito tempo no calendário, foi a escolha das 12 sedes do Mundial com as cidades que ficaram de fora a lançarem acusações sobre as cidades escolhidas. Num país imenso como o Brasil, com dimensão continental, apareceram 18 candidaturas a sedes do Mundial. Ora a FIFA costuma escolher entre 8 a 10 cidades. Devido à dimensão do país, optou, excepcionalmente, por 12 cidades-sede. A cidade de Maceió desistiu logo no início do processo. No dia 31 de Maio de 2009 foram escolhidas as 12 cidades, e de fora ficaram Belém, capital do Pará, Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul, Florianópolis, capital de Santa Catarina, Goiânia, capital de Goiás e Rio Branco, capital do Acre.Cidades Sede Brasil 2014

As Escolhas das Cidades-Sede

Se, à primeira vista, se percebe o porquê de algumas cidades terem sido preteridas, como Rio Branco, que fica no coração da Amazónia e com toda a dificuldade logística inerente, outras há que se percebe que foram razões políticas a determinar a escolha. Florianópolis teria de disputar o lugar com Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul, ali mesmo ao lado e Goiânia teria de se confrontar com Brasília, a capital administrativa do país que fica, na verdade, dentro da área física do estado de Goiás. Percebe-se que nestas regiões ter-se-ia de optar por uma ou outra cidade, até pela proximidade. Proximidade essa que não foi tida em conta quando se escolheu Fortaleza, Natal e Recife (e porque não Salvador), 3 capitais de 3 pequenos estados muito próximas entre si. Ora, Belém, capital do Pará, e que poderia ter sido um bom ponto intermédio entre Manaus e qualquer uma destas outras cidades, foi preterida. Mas a mais difícil de digerir foi a escolha de Cuiabá, capital do Mato Grosso em detrimento de Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul. São as duas cidades do Pantanal. Cidades rivais com um historial de antagonismo. Nenhuma delas queria perder para a outra. Mas 4 anos passados sobre as escolhas, a polémica parece já ter sido esquecida.

Mas já antes tinha sido lançada a polémica com a escolha do logo que representa três mãos a levantar a Taça do Campeonato do Mundo, três mãos interligadas, em conjunto, cooperantes e com as cores do Brasil. Mas houve que viu as mãos a taparem a cara de vergonha.

A Revolução Saiu à Rua

Depois, à cerca de um mês, e durante a Taça das Confederações, o rastilho da violência que eclodiu por causa do aumento da tarifa dos bilhetes dos autocarros urbanos, depressa se virou contra o futebol. O Mundial, os Jogos Olímpicos e as verbas destinadas à construção e renovação dos estádios que, na maior parte dos casos, derrapou enormemente, levou a que grandes manifestações ocorressem um pouco por todo o Brasil clamando por melhor saúde e educação, em detrimento dos projectos megalómanos dos eventos desportivos que não servem o grosso da população.

Joseph BlatterO Arrependimento de Blatter

Agora, à cerca de uma semana, foi o presidente da FIFA, Joseph Blatter, numa entrevista divulgada pela agência alemã DPA, a colocar em causa a escolha do Brasil como sede do Campeonato Mundial de Futebol 2014. Perante os recentes acontecimentos  ocorridos durante a Taça das Confederações, Joseph Blatter manifestou o receio que eventos dessa natureza venham a ocorrer durante o Mundial e a colocar em causa a hegemonia do futebol e da FIFA. E toda a gente sabe o horror que a FIFA tem das manifestações populares. Se há democracia no mundo, não é na FIFA com certeza. E Blatter colocou em causa a escolha do Brasil. No país do futebol não caiu bem essa dúvida.

O Sabor da Corrupção

Já este fim-de-semana surgiu uma polémica em torno de favores para colocar alguns jogadores na lista dos convocáveis para a selecção do Brasil. Fala-se da compra de lugares nos seleccionáveis por 200 mil reais e tendo como figura central de todo o processo o empresário Oberdan Silva. Tudo começou com uma investigação do canal de televisão SBT, mas que entretanto já deu entrada no Ministério Público. Entre as várias ilegalidades, também surge a alteração da idade de atletas e a falsificação do curriculum dos jogadores.

As Faltas de Protocolo

Por último, ontem, com a chegada do Papa Francisco ao Rio de Janeiro, e a quebra de protocolo, com Dilma a sair de carro com o Papa, sem seguranças e a serem barrados pelo povo em plena Avenida Atlântica, já se pergunta se o Brasil estará preparado para receber eventos da grandeza do Campeonato do Mundo de Futebol e se tem um plano de segurança efectivo.

No entanto, é sabido, quando o Campeonato do Mundo de Futebol começar, quase todas estas polémicas estarão esquecidas, ou pelo menos, encerradas. E o Brasil cerrará fileiras pela sua selecção. E quererá ganhar a Copa. E, é preciso não esquecer, Deus é brasileiro. E tudo poderá acontecer.

 

Outros Artigos Recomendados

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *