Última Hora

• Nenhum artigo encontrado
Suécia - Portugal 2013

Resumo: Suécia 2 – 3 Portugal

Selecção da Suécia: Guarda-redes – Andreas Isaksson; Defesas – Martin Olsson, Per Nilsson, Mikael Antonsson e Lustig; Médios – Alexander Kacaniklic (82′ Durmaz), Kim Kallstrom, Rasmus Elm (46′ Svensson) e Sebastian Larsson; avançados – Zlatan Ibrahimovic,  e Elmander.

Selecção de Portugal: Guarda-redes – Rui Patrício; Defesas: João Pereira, Pepe, Bruno Alves e Fábio Coentrão (52′ Antunes); Médios – Miguel Veloso, Raul Meireles (73′ William Carvalho) e João Moutinho; Avançados – Cristiano Ronaldo, Nani e Hugo Almeida (81′ Ricardo Costa).

E esta era a última final antes do Campeonato do Mundo de 2014. O segundo jogo do play-off entre suecos e portugueses. No primeiro encontro, Portugal levara vantagem de 1 a 0, golo do capitão de equipa, Cristiano Ronaldo.

Este 1 a 0 conseguido em Portugal era um bom resultado, se se pensar que fora, bastaria à equipa portuguesa marcar um golo para obrigar os suecos a terem de marcar mais dois.

1200 adeptos portugueses ocuparam os seus lugares nas bancadas e, por vezes, conseguiam ouvir-se por cima do bruá criado pela multidão sueca.

A Primeira Parte

Como lhe competia, foram os suecos os primeiros a marcarem posição sobre ao que iam neste jogo. Começaram ao ataque. Um pouco tíbio, mas efectivo.

Portugal pôs-se, também, a fazer o que lhe competia. Contenção. A tentar parar os ataques suecos. E na expectativa.

De qualquer forma, o ataque da selecção sueca não parecia tão incisivo quanto o da selecção portuguesa no jogo anterior, no Estádio da Luz. E Portugal

Suécia - Portugal 2013

Ibrahimovic, ao contrário do jogo de Lisboa, apareceu em campo, mas foi insuficiente

parecia bastante concentrado no jogo e a cortar todos os caminhos abertos pela selecção da Suécia.

Aos 6′ Fábio Coentrão levantou um pé e o árbitro marcou falta. Mas terá sido exagerado o teatro do jogador sueco, Lustig, que sofreu a falta. Fábio Coentrão fez falta pela altura a que levantou o pé, não pelo toque que teria dado no jogador contrário.

Aos 13′ sim, Alexander Kacaniklic faz uma falta dura sobre Raul Meireles. À marcação executada por João Moutinho, respondeu Bruno Alves com uma cabeçada que Isaksson defendeu in extremis. Para canto. Foi a melhor oportunidade de golo da partida até aquele momento.

E a partir daquele momento a selecção nacional conseguiu equilibrar o jogo e começou a ganhar o meio-campo. Pelo menos até à altura em que Nani rematou muito alto, para a bancada. E depois, o jogo estabeleceu-se ali a meio-campo. A selecção da Suécia perdeu um pouco do fulgor com que entrou e a selecção de Portugal ganhou um pouco esse terreno, passando, o jogo, a ser muito jogado ali, com um ou outro ataque tímido de parte a parte.

Esta foi uma altura um pouco pobre do jogo, que terminou aos 35´com uma arrancada de Cristiano Ronaldo pelo interior do campo com a bola a ser defendida por Isaksson. E logo a seguir, num cruzamento de João Pereira, Cristiano Ronaldo, na cara do golo, remata, fortíssimo, por cima da barra.

E aos 38′ minutos, Hugo Almeida desperdiçou a segunda melhor oportunidade do encontro, depois de um contra-ataque da equipa portuguesa, muito contestada pelos adeptos suecos que pediam bola fora por estar um jogador sueco no chão, mas que os seus colegas de equipa não quiseram parar quando tiveram, eles, a bola. Cristiano Ronaldo arrancou pelo lado direito e centro para a cabeça de Hugo Almeida que. sozinho, cabeceou ao lado.

Na resposta, Kim Kallstrom dispara um potentíssimo remate que Rui Patrício, atento, agarrou sem muita dificuldade.

E logo depois chegou o intervalo.

Numa primeira parte onde os suecos entraram com mais força, depressa os portugueses conseguiram equilibrar o jogo. E acabaram por terem, nos pés e na cabeça, as melhores oportunidades do encontro. Mas a selecção portuguesa continua a sofrer do mesmo problema que o assolou no primeiro jogo: a falta de capacidade concretizadora.

A Segunda Parte

E recomeçou a segunda parte do jogo.

Aos 47 ‘ , Cristiano Ronaldo falhou um remate na cara de Isaksson, mas o árbitro acabaria por assinalar fora de jogo.

Na resposta, aos 48′, Zlatan Ibrahimovic fez uma insistência e a bola andou às voltas frente à baliza de Rui Patrício, mas Larsson não foi imperial e a bola recusou-se a entrar e, quase na resposta, como num jogo de ténis, a bola voltou para o campo contrário, João Moutinho lançou-a para Cristiano Ronaldo que a agarrou, cruzou o campo e disparou para o lado contrário da posição de Isaksson e marcou o seu segundo golo neste play-off, o primeiro neste jogo, e quase que colocou a selecção portuguesa com os dois pés no Brasil.

Depois deste golo, a selecção nacional passou a controlar o jogo e acabou por ter mais outras oportunidades.

Parecia que se estava a reviver o jogo de Sexta-feira passada. Portugal a dominar o jogo, a ter mais oportunidades, mas a ser perdulário, e a Suécia a tentar o contra-ataque.

Aos 68′, Pepe provocou um canto e no seguimento desse canto, Ibrahimovic saltou mais alto que toda a defesa portuguesa e marcou o golo do empate. E respondeu

Suécia - Portugal 2013

Cristiano Ronaldo fez um jogo perfeito e, talvez, um dos melhores ao serviço da selecção nacional

a Pepe que, antes do canto tentara cavar uma falta.

Logo na sequência desse golo, a selecção sueca, toda balançada no ataque, aproximou-se perigosamente da baliza de Rui Patrício, mas Kallstrom tentou sofrer um penalty e o árbitro assinalou falta contra os suecos.

E este foi o melhor período da equipa sueca. Começaram a acreditar na mudança do marcador e Zlatan Ibrahimovic começou o seu espectáculo.

Miguel Veloso provocou uma falta à entrada da área, mesmo no limite da linha. E a Suécia marcou o seu segundo golo, num remate em que Rui Patrício pareceu muito mal batido.

A Suécia cresceu. Portugal retraiu-se. O jogo tornou-se perigoso. O Brasil começava a parecer ficar distante. E começaram as faltas.

E eis senão quando, aos 78′, Cristiano Ronaldo voltou a receber a bola, voltou a cruzar o campo e voltou a rematar para o lado contrário da baliza de Isaksson. E fazia o segundo golo. O golo do empate. E a complicar, de novo, a vida aos suecos.

Cristiano Ronaldo puxou das suas fúrias, voltou a pegar na bola, voltou a rematar à baliza sueca e voltou a marcar golo. Terceiro golo de Cristiano Ronaldo no jogo. Quarto golo nos dois jogos do play-off.

Este acabou por ser o jogo de Cristiano Ronaldo que, aos 82′, voltou a ficar muito perto de marcar pela quarta vez. Aos 86′ repetiu a oportunidade, depois de uma corrida cavalar, rematou de longe, com a bola a passar rente ao poste esquerdo da baliza sueca. Aos 92′ nova deslocação primorosa de Cristiano Ronaldo a rematar a bola com esta a passar, de novo, rente ao poste da baliza dos suecos.

No final do jogo, assistiu-se ao terceiro play-off com Portugal a ganhar. 3 a 2 à Suécia num jogo que foi, acima de tudo, de Cristiano Ronaldo.

Obrigado, Selecção Portuguesa. Olá Brasil. Aqui vamos nós.

The cells look like college dorm rooms, equipped with radios and writing research papers pdf satellite tv

Outros Artigos Recomendados

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *