Última Hora

• Nenhum artigo encontrado
Digital

Sedes do Mundial – Salvador da Bahia

A Bahia, mais concretamente a sua Capital, Salvador, vai receber seis partidas do Campeonato do Mundo de Futebol de 2014, numa primeira fase jogos dos Grupos B, E, F e G, depois um do oitavos e quartos de final da prova. A Arena Fonte Nova, o palco escolhido, fica localizada onde antes estava o Estádio Octávio Mangabeira e replica o modelo de gestão multiusos do Arena de Amesterdão, com o objectivo de fazer da infraestrutura baiana um ponto de atracção no circuito mundial de entretenimento. Para além dos jogos de futebol, o Arena está pensado para receber espectáculos musicais, congressos e até encontros de negócios. O Arena fonte Nova foi inaugurado em Abril de 2013 e tem capacidade para 50 mil pessoas. Durante 35 anos está concessionada a um consórcio privado (FNP) e o contrato pressupõe a rentabilização da estrutura com eventos diversificados que promovam também o desenvolvimento da região de Salvador. No fim desse período o Arena volta à posse do Governo Federal Baiano.

Salvador é a Capital do Estado da Bahia, a 3ª mais populosa do Brasil, apenas precedida de S. Paulo e do Rio de Janeiro. É também a metrópole com maior número de descendentes de africanos do mundo – Nova Iorque é a segunda – o que faz dela um incontornável núcleo de cultura afro-brasileira. A presença dessa ancestralidade é evidente na identidade de Salvador. A cidade foi, desde a sua fundação, destino de um enorme contingente de escravos negros, oriundos do Togo, Nigéria, Benim e Gana. Gerações sucessivas preservaram e fortaleceram na comunidade essas marcas culturais, do tempero aos orixás, passando pelo samba da roda e a capoeira. Aliás, Salvador é ainda hoje uma síntese das heranças africanas e portuguesas. Nesta cidade existem 365 igrejas, uma por cada dia do ano, e o Catolicismo vive paredes meias com o Candomblé.

A História em Cada Esquina

Foi fundada com o nome de São Salvador da Bahia de Todos os Santos, em 1549, por ordem do rei D. João III. Tomé de Souza, o primeiro Governador-Geral do Brasil, foi nomeado pelo rei para ali estabelecer uma cidade-fortaleza, a primeira Capital do território. E assim permaneceu, capital e sede da administração colonial do Brasil até meados do século XVIII. Como curiosidade histórica podemos referir a figura do primeiro Capitão-Donatário, Francisco Pereira Coutinho. Tornou-se conhecido entre os índios pela arrogância e crueldade. Durante uma das muitas sublevações indígenas viu-se obrigado a fugir e o barco em que seguia, no meio de uma tempestade, foi acostar à ilha de Itaparica, onde foi feito prisioneiro pelos Tupinambás. Outros homens da sua comitiva foram libertados mas o Donatário acabou a ser servido numa celebração canibal.

Salvador da Baía - Baianas

O que é que a baiana tem?

O centro histórico de Salvador foi classificado pelo UNESCO como Património Mundial em 1985. A cidade foi Capital da colónia durante 250 anos e isso nota-se nas ruas. Os edifícios monumentais, palácios, igrejas e conventos – ainda estão de pé, dando testemunho da riqueza, prestígio e grandiosidade de São Salvador da Bahia, e do papel que desempenhou no Império Português e no mundo, entre os séculos XVII e XVIII. Representa o urbanismo que os portugueses levaram a outras regiões do globo, com a particularidade de, neste caso, se tratar predominantemente de uma cidade administrativa e de poder desde o seu nascimento, e não apenas um entreposto comercial. O Pelourinho – lugar que servia sobretudo para castigar escravos – enquanto símbolo de autoridade e punição é, literalmente, a primeira pedra da cidade que veio a ser Salvador, e não foi por acaso que ficou nome de bairro da Capital da Bahia. A Igreja e Convento de S. Francisco, da primeira década de Oitocentos, é uma expressão fulgurante do Barroco Português que não deixa ninguém indiferente. No interior da igreja ainda estão preservados painéis de azulejo que retratam Lisboa antes do Terramoto de 1755. Incontornável é também a Igreja e Casa da Misericórdia. A Irmandade da Santa Casa da Misericórdia está em Salvador desde a fundação, com o propósito de cuidar dos enfermos. A primeira capela e o primeiro hospital foram construídos em terrenos doados por Tomé de Souza, graças aos donativos dos colonos. Outro exemplo significativo da herança portuguesa é o Paço Municipal, antiga Casa da Câmara e Cadeia. Foi edificada entre os séculos XVII e XVIII, no alto da colina sobranceira ao porto, era a sede do Concelho da cidade e prisão.

Cultura Viva

Aquilo que hoje o mundo entende por Bahia não seria o mesmo sem a obra de Jorge Amado e Dorival Cayimmi. O primeiro não preciso de apresentações, quanto mais não seja pelas novelas que correram o globo, como “Gabriela” e “Tieta do Agreste”. É, até hoje, o autor brasileiro mais vezes adaptado para televisão. Mas o que talvez poucos entendam é que em cerca de 40 livros publicados Jorge Amado fixou o universo baiano e a ideia que temos da Bahia. Quanto ao segundo, o nome pode não dizer tanto mas se lembrarmos que o seu primeiro grande sucesso se chamava “O Que é Que a Baiana Tem?”, interpretado por uma tal de Carmem Miranda, talvez comecem a perceber. Caymmi foi autor e compositor de grandes temas brasileiros, muito inspirados no imaginário baiano. Dele é também o tema de abertura da novela, “Modinha de Gabriela”, que Gal Costa popularizou na década de 70.

Hulk & David Luiz

Hulk e David Luiz na Selecção

Em Salvador o futebol é dominado pela rivalidade entre o Bahia e o Vitória, que disputam entre si o clássico Ba-Vi. O Esporte Clube Bahia, que joga no Arena, foi o primeiro emblema brasileiro a conquistar um troféu nacional, a Taça do Brasil de 1959, e em consequência foi também o primeiro a participar na Copa Libertadores da América, no ano seguinte. Tem a maior massa adepta do Estado. Venceu 2 vezes o Brasileirão e 44 o Campeonato Baiano. Dani Alves, o lateral-esquerdo do Barcelona, ingressou no Bahia aos 15 anos, pela mão de José Carlos Queiróz e de lá já só saiu para Espanha.

O Esporte Clube Vitória nasceu em 1899, o primeiro clube fundado exclusivamente por brasileiros e um dos primeiros a praticar a novidade que era então ainda o futebol. Na região do Nordeste o Vitória foi também pioneiro noutras modalidades, como o voleibol, o pólo aquático ou o basquetebol, por exemplo. Das suas escolas de formação saíram diversos jogadores de renome, alguns chegaram mesmo à Canarinha, como o guarda-redes Dida ou o avançado Bebeto. Neste momento, há dois protagonistas do futebol mundial que foram rubro-negros. Hulk, nascido Givanildo Veira de Souza, saíu do Vitória com apenas 18 anos e foi rodar em equipas do Japão até o FC do Porto o ter ido buscar e fazer dele um estrela cobiçada pelos muitos rublos do Zenit. Já David Luiz esteve seis anos no Vitória, sendo então emprestado e depois vendido ao Benfica onde se tornou um dos favoritos dos adeptos. Em 2011 transferiu-se para o Chelsea, de Inglaterra, por 25 milhões de euros. Um e outro são, hoje, presenças regulares nas convocatórias de Luiz Filipe Scolari. You have to do a lot of sifting to get good examine to investigate stuff

Outros Artigos Recomendados

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *