Última Hora

• Nenhum artigo encontrado
Selecção Argelina

Selecção da Argélia

A Argélia, juntamente com os Camarões, foram a quinta selecção africana a qualificar-se para uma fase final de um Campeonato do Mundo de Futebol. Depois do Egipto em 1938, de Marrocos em 1970, do Zaire em 1974 e da Tunísia em 1978, a Argélia e os Camarões qualificaram-se para o Mundial de 1982, em Espanha, no Campeonato em que África teve direito a duas equipas na fase final.

Depois desse início, a Argélia repetiu a qualificação no Campeonato do Mundo seguinte mas, após esse Mundial, o de 1986, no México, esteve 24 anos sem voltar aos grande palcos mundiais, retornando em 2010, no Campeonato do Mundo da África do Sul e repetindo a façanha agora, em 2014, qualificando-se para o Mundial do Brasil.

Não tendo um currículo como outras equipas africanas, a Argélia é, contudo, uma das melhores e mais importantes selecções de futebol de África, e dela espera-se que faça um Campeonato do Mundo com algumas surpresas.

História da Selecção

A história da selecção argelina de futebol nos grandes palcos começou em 1982 ao conseguir a qualificação para o Campeonato do Mundo de Espanha. Aí chegada, calhou-lhe em sorte o Grupo B, tendo como adversários a Alemanha Ocidental, a Áustria e o Chile. E começou muito bem. E continuou bem. Mas teve azar. Não falta de jeito. Azar. Duas vitórias e uma derrota. Ganhou, surpresa das surpresas, à Alemanha Ocidental por 2 a 1, com um dos golos a ser marcado por Madjer, do FC Porto. E ao Chile, por 3 a 2. Perderia com a Áustria por 2 a 0. E ficaria em primeiro lugar do grupo com 4 pontos, os mesmo que a Alemanha Ocidental e a Áustria. Mas a diferença de golos foi-lhe fatal. E não continuaram em prova por causa da diferença de golos, levando a melhor a Alemanha Ocidental e a Áustria. Foram embora mais cedo mas com a certeza do dever cumprido e aguçaram o apetite pelo Campeonato do Mundo e, quatro anos mais tarde, lá estavam eles outras vez.

Fédération Algérienne de Football

A Fédération Algérienne de Football foi criada em 1962

E assim foi. Em 1986, no Campeonato do Mundo do México, a selecção argelina apurou-se para o seu segundo Mundial. Mas foi um terrível Mundial. Começou logo pelo sorteio. A Argélia calhou no Grupo D, com o Brasil, a Espanha e a Irlanda do Norte. E foram duas derrotas e um empate. Um golo marcado e cinco sofridos. Um ponto e o último lugar no grupo. O empate foi com a Irlanda do Norte a 1 golo. As derrotas foram com o Brasil, por 1 a 0, e com a Espanha, por 3 a 0. E com tudo isto, 24 anos seguintes afastados das finais dos Campeonatos do Mundo. Voltariam em 2010 ao convívio com os grandes.

E, então, em 2010, lá está, de volta, a Argélia, a uma fase final de um Campeonato do Mundo. Desta vez no seu continente, no Mundial da África do Sul. Mas se as duas anteriores prestações não tinham terminado bem, esta seguiu o mesmo caminho, numa quase cópia do Mundial de 1986. Um empate e duas derrotas. Dois golos sofrido e nenhum golo marcado. Empate a zero com a Inglaterra, e derrotas com os Estados Unidos e a Eslovénia por 1 a 0. Último lugar no grupo e bilhete de volta para casa.

De todas as formas, a selecção argelina aplicou-se e durante a fase de qualificação para o Campeonato do Mundo de 2014, venceu o Grupo H, na segunda fase de qualificação africana, onde defrontou as selecções do Mali, do Benim e do Ruanda, com cinco vitórias e uma única derrota, e depois, na terceira fase, perdeu por 3 a 2 com a selecção do Burkina Faso, fora, mas depois conseguiu uma vitória por 1 a 0, em casa, e que foi suficiente para assegurar a qualificação para o Brasil. E aí está a selecção argelina.

Outras Histórias

Mas se o seu trajecto nos Campeonatos do Mundo de Futebol têm resultado em relativo fracasso, o seu trajecto regional tem sido, contudo, um pouco melhor.

Para isso contribui um triunfo na Taça das Nações Africanas e, também, um segundo lugar na mesma prova. Ainda duas Taças Afro-Asiáticas das Nações. Também uma Medalha de Ouro nos Jogos Pan-Africanos e uma Medalha de Bronze nos Jogos Pan-Árabes.

Treinador

Vahid Halilhodžić é o treinador da selecção argelina.

Vahid Halilhodžić

Depois de ter ido à África do Sul com a Costa do Marfim, Vahid Halilhodžić vai ao Brasil com a Argélia

Começou por ser jogador de futebol, avançado, no seu país de origem, a Jugoslávia, sendo, no entanto, bósnio. Em 1981 muda-se para França e fica durante cinco épocas no Nantes, onde ganha o Campeonato Nacional e vence, por duas vezes, o prémio de Melhor Marcador. No seu último ano como jogador passa pela equipa do Paris Saint-German.

Depois inicia a sua carreira de treinador. Passa por equipas como o Lille, o Rennes e o PSG, em França, o Trabzonspor, na Turquia e o Dínamo de Zagreb, na Croácia. Como seleccionador, passa, também, pela selecção da Costa do Marfim que estará presente no Campeonato do Mundo de 2010, na África do Sul, no entanto, não é ele que irá orientar a equipa no Mundial, mas sim Sven-Göran Eriksson.

Desde 2011 que está à frente dos destinos da selecção da Argélia e ele o responsável pela qualificação argelina para o Campeonato do Mundo de 2014, no Brasil.

Prováveis Convocados

Guarda-redes – Mohamed Zemmamouche, Si Mohammed, Raïs M’Bolhi;

Defesas – Carl Medjani, Madjid Bougherra, Faouzi Ghoulam, Liassine Cadamuro, Ali Rial, Djamel Mesbah, Aïssa Mandi;

Médios – Yacine Brahimi, Mehdi Mostefa, Nacer Khoualed, Sofiane Feghouli, Mehdi Lacen, Saphir Taider, Hassan Yebda, Foued Kadir;

Avançados – El Arbi Soudani, Islam Slimani, Abdelmoumene Djabou, Rafik Djebbour, Ishak Belfodil.

As Estrelas

A maior parte dos jogadores da selecção argelina joga em clubes argelinos ou em campeonatos menores. No entanto, há alguns jogadores que conseguiram saltar a barreira e chegaram a equipas de primeiro plano, em importantes campeonatos europeus.

Saphir Taïder

Saphir Taïder, jovem médio do Inter, é a grande esperança

Jogadores como os defesas Carl Medjani, do Olympiacos e Djamel Mesbah, do Parma, os médios Sofiane Feghouli, do Valencia e Hassan Yebda, do Granada, e que já passou pelo Benfica, e os avançados Islam Slimani, do Sporting e Ishak Belfodil, do Inter são as grandes estrelas e as maiores referências desta selecção.

Mas a estrela maior, onde se colocam as maiores expectativas e se projecta um grande futuro é o médio do Inter, Saphir Taider.

Taider que começou por dar nas vistas no Bologna, assinou pelo Inter em 2013. Fez todo o percurso de selecções jovens em França, onde iniciou o seu trajecto enquanto profissional de futebol, mas ao passar para as selecções A, optou pela selecção argelina.

É de Saphir Taider que se esperam coisas maravilhosas na selecção da Argélia.

Equipamentos

Argélia A 2014 Argélia B 2014

Four other states, including washington, are participating in the project as learning-partner states, meaning they take part in conference calls https://pro-essay-writer.com and other activities with the five grantee states

Outros Artigos Recomendados

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *