Última Hora

• Nenhum artigo encontrado
Selecção da Croácia

Selecção da Croácia

A selecção da Croácia é uma da selecções descendentes da selecção da Jugoslávia.

Depois do desmembramento da Jugoslávia enquanto país, as suas várias repúblicas vieram a tornar-se países independentes. Sérvia, Croácia, Bósnia Herzegovina, Eslovénia, Macedónia e Montenegro são os actuais países que nasceram após o fim da Jugoslávia. O Kosovo também, mas tem uma condição diferente e não é reconhecido por todos os países como tal. Aliás, todos os novos países nascidos das cinzas da Jugoslávia têm selecções de futebol, umas melhores do que as outras, mas todas reconhecidas tanto pela UEFA como pela FIFA, com excepção, precisamente, do Kosovo, cuja selecção só pode jogar partidas amigáveis e nunca os organizados pelas duas entidades.

De todas as selecções que podem afirmar-se descendentes directas da selecção jugoslava, as que têm maior projecção são as selecções sérvia, croata e bósnia.

E destas, só duas vão estar presentes no Campeonato do Mundo de 2014, no Brasil. As selecções da Croácia e da Bósnia Herzegovina.

Aqui é da selecção croata que se trata, e que chegou pela primeira vez a um torneio importante em 1998, no Campeonato do Mundo de França.

História da Selecção Jugoslava

A selecção jugoslava foi uma das 13 selecções que estiveram presentes no primeiro Campeonato do Mundo de Futebol, em 1930, no Uruguai. Até 1994, altura em que começou a fragmentação do país, a Jugoslávia foi capaz do melhor e do pior.

Hrvatski Nogometni Savez

A Hrvatski Nogometni Savez, Federação Croata de Futebol, teve um primeiro nascimento em 1912

Foi precisamente em 1930 que a Jugoslávia conseguiu a sua melhor classificação de sempre ao ficar em terceiro lugar, junto com os Estados Unidos, depois de perder nas meias-finais por 6 a 1 com a selecção do Uruguai, que viria a ser a ganhar o torneio. Depois, também devido às convulsões no país e à Segunda Guerra Mundial, a Jugoslávia só voltaria a uma fase final de um Campeonato do Mundo em 1950, no Brasil, mas não passaria da primeira fase, embora contabilizasse duas vitórias, por 3 a 0 frente à Suíça e por 4 a 1 frente ao México, e uma única derrota, por 2 a 0 frente ao Brasil, que seria a selecção a passar à fase seguinte. Depois, nos Mundiais de 1954, na Suíça e 1958, na Suécia, os jugoslavos chegariam aos quartos-de-final mas, ambas as vezes seriam derrotados pelos alemães ocidentais, primeiro por 2 a 0 e depois por 1 a 0. Mas vingaram-se em 1962, no Campeonato do Mundo do Chile, onde chegaram às meias-finais, onde perderiam com os checos por 3 a 1, mas antes, nos quartos-de-final, já tinham afastado, finalmente, a Alemanha Ocidental, por 1 a 0.

Passaram, entretanto, dois outros Mundiais, mas os jugoslavos viram-nos passar ao lado e só em 1974 voltam a uma fase final, na Alemanha Ocidental, onde conseguem chegar à segunda fase, depois de empatar a 1 com a Escócia e a zero com o Brasil, e de ter esmagado o Zaire por 9 a 0. Mas na segunda fase perdem os três jogos, por 2 a 1 com a Polónia e a Suécia, e por 2 a 0 com a Alemanha Ocidental. E de novo, no Campeonato do Mundo de 1978, na Argentina, não conseguem a qualificação. E começa uma época de presenças, Mundial sim, Mundial não.

Assim, voltam de novo a qualificar-se para o Campeonato do Mundo de 1982, em Espanha, mas não passam da primeira fase, perdendo com a Espanha por 2 a 1, empatando com a Irlanda do Norte a zero, e ganhando às Honduras por 1 a 0. Depois voltam a falhar o Mundial de 1986, no México, e retornam em 1990, no Campeonato do Mundo de Itália, onde chegam aos quartos-de-final e são eliminados pela Argentina por 3 a 2, na marca das grandes penalidades, depois de um tempo regulamentar a zero. E depois deste Mundial, a Jugoslávia começa a desmembrar-se.

Mas também nos Campeonatos Europeus, a Jugoslávia fez algumas coisas boas e outras más. Primeiro, as suas prestações foram sempre um carrossel, ora vai, ora vem. Apurada para um Europeu, não apurada para o seguinte, e assim sucessivamente. Por isso falhou os Campeonatos da Europa de 1964, de 1972, de 1980 e 1988. Apurada para o Europeu de 1960, em França, seria finalista vencida pela União Soviética por 2 a 1 após prolongamento, assim como no Campeonato da Europa de 1968, em Itália, onde voltou a ser finalista vencida pela selecção da casa com direito a segunda final, devido ao empate a 1 golos após prolongamento no primeiro jogo, acabaria por der derrotada por 2 a 0 no segundo. Em 1976 ficaria em quarto lugar, no Europeu que organizou, perdendo o último jogo com a Holanda por 3 a 2, também após prolongamento. Em 1984, no Campeonato da Europa de França, não passou da primeira fase com três derrotas em três jogos. E, finalmente, foi suspensa a sua participação no Europeu de 1992, devido à guerra, e foi substituída pela selecção dinamarquesa que acabaria por ganhar o torneio.

História da Selecção Croata

O primeiro Campeonato do Mundo disputado pela selecção croata foi o de 1998, em França, já que não conseguiu a qualificação para o Campeonato do Mundo de 1994, nos Estados Unidos. E que estreia. Logo no seu primeiro Mundial a Croácia conquistou o terceiro lugar da prova. Na fase de grupos encontrou-se com a Argentina, com quem perdeu por 1 a 0, com a Jamaica, a quem derrotou por 3 a 1 e o Japão, a quem venceu por 1 a 0. Passada aos oitavos-de-final derrotou a Roménia por 1 a 0. Nos quartos-de-final despachou a Alemanha por um claro 3 a 0. Seria, finalmente, derrotada pela França nas meias-finais, por 2 a 1, mas ganharia o terceiro lugar ao vencer a Holanda por 2 a 1.

Croácia 3 - 0 Alemanha 1998

Em 1998, a Croácia derrotou a Alemanha por 3 a 0 nos quartos e ficou em 3º no Campeonato do Mundo

Mas a estreia não voltou a repetir-se. Em 2002, no Campeonato do Mundo da Coreia do Sul-Japão, e em 2006, no Campeonato do Mundo da Alemanha, a Croácia não conseguiu ir além da fase de grupos. Na Coreia do Sul-Japão venceu a selecção italiana por 2 a 1, mas perdeu com as selecções mexicana e equatoriana por 1 a 0. Na Alemanha não foi além de dois empates com as selecções australiana, a 2 golos, e japonesa, a zero golo, tendo ainda sido derrotada pela selecção brasileira.

E para agravar ainda mais as coisas, a Croácia não conseguiu o apuramento para o Campeonato do Mundo de 2010, na África do Sul. Mas já tem bilhete para o Brasil de 2014.

Também nos Campeonatos da Europa a Croácia não começou mal, chegando aos quartos-de-final, no Europeu de 1996, em Inglaterra, depois de na fase de grupos ter perdido por 3 a 0 com Portugal, e ter ganho à Dinamarca por 3 a 0 e à Turquia por 1 a 0. Nos quartos-de-final seria derrotada pela Alemanha por 2 a 1. Também no Europeu de 2008, na Áustria-Suíça, a selecção croata voltou a conseguir chegar aos quartos-de-final, depois de ter ganho os três jogos da fase de grupos, por 2 a 1 à Alemanha e por 1 a 0 à Áustria e à Polónia. Voltaria a perder de novo nos quartos-de-final, mas desta vez frente à Turquia, por 3 a 1, no prolongamento, depois de um tempo regulamentar com empate a 1 golo.

A selecção croata falhou a qualificação do Europeu de 2000 e, nos outros Campeonatos da Europa não conseguiu passar da fase de grupos. Em 2004, em Portugal, empatou a zero com a selecção suíça, e a 2 golos com a selecção francesa e perdeu por 4 a 2 com a selecção inglesa. Em 2012, no Campeonato da Europa da Polónia-Ucrânia, venceu a selecção irlandesa por 3 a 1, empatou com a selecção italiana a 1 golo e perdeu com a selecção espanhola por 1 a 0.

Treinador

Niko Kovač, antigo médio alemão de ascendência croata, o que o levou a optar por jogar na selecção croata, é o novo seleccionador da equipa croata, tendo sucedido a Igor Štimac, que fez a campanha de qualificação, mas já não fez os jogos do play-off que ficaram a cargo de Kovač.

Niko Kovač

Niko Kovač, substituiu Igor Štimac e ganhou os 2 jogos do play-off

Este alemão de nascimento, fez quase toda a sua carreira de futebolista na Alemanha, jogando em equipas como o Hertha de Berlim, o Bayer Leverkusen, o Hamburgo e o Bayern de Munique, tendo passado, em final de carreira, pela equipa austríaca do Red Bull Salzburgo. Foi campeão da Alemanha e da Áustria e também chegou a ganhar uma Taça da Alemanha. Quando terminou a sua carreira de jogador estava na equipa austríaca do Red Bull Salzburgo e foi ainda nessa equipa que iniciou a sua carreira de treinador. Depois passou pelas camadas jovens da selecção Croata e passou a seleccionador da equipa principal croata depois da fase de qualificação, tendo dirigido já os dois jogos do play-off. Em 2014 é ele quem irá estar à frente da selecção croata no Brasil.

Para já tem no seu currículo o facto de ter ultrapassado a selecção islandesa nos jogos do play-off, tendo sido, para todos os efeitos, o treinador que qualificou a Croácia para o Mundial de 2014.

De resto, muito pouco se sabe de Kovač como treinador e a sua prestação para o Mundial é, ainda, uma surpresa.

Prováveis Convocados

Guarda-redes – Stipe Pletikosa, Ivan Vargic, Dario Krešić;

Defesas – Vedran Corluka, Josip Šimunić, Dejan Lovren, Demagoj Vida, Ivan Strinic, Josip Pivarić, Mario Maloca, Gordon Schildenfeld, Hrvoje Milić, Igor Bubnjic;

Médios – Nico Kranjcar, Luka Modrić, Darijo Srna, Ognven Vukojević, Ivan Perišić, Arijan Ademi, Ivan Rakitic, Mateo Kovačić, Danijel Pranjić;

Avançados – Nikola Kalinic, Mario Mandzukic, Eduardo da Silva, Ivica Olić, Nikica Jelavic, Ante Rebic.

As Estrelas

Luka Modrić

Luka Modrić é o mestre do jogo croata

As principais figuras da selecção croata estão espalhadas um pouco por toda a Europa, em campeonatos mais ou menos competitivos, e em equipas mais ou menos de primeiro plano. Os defesas Dejan Lovren, do Southampton, Igor Bubnjic, do Udinese e Vedran Corluka do Lokomotiv de Moscovo são exemplos dessa dispersão. Mas também os médios Darijo Srna, do Shakhtar Donetsk, Ivan Rakitic, do Sevilla e, especialmente, Mateo Kovačić, que aos 19 anos é uma das grandes esperanças o Inter e da própria selecção croata, são bons exemplos dos clubes por onde vão jogando os seleccionados croatas, um pouco por toda a Europa. E dos avançados poder-se-ia falar de Mario Mandzukic, do Bayern de Munique ou de Ante Rebic, da Fiorentina.

Mas a estrela da companhia ainda é o médio do Real Madrid, Luka Modrić. Modrić é um excelente organizador de jogo, que tanto faz o meio do terreno, como a ala esquerda, joga bem com os dois pés e é senhor de um bom e certeiro passe. Luka Modrić tem quase sempre um bom posicionamento no terreno, resultado de uma boa visão de jogo e, muitas vezes, recua no campo para ajudar a defesa. A ajudar a tudo isto, Modrić tem também um forte remate que o leva, amiúde, a rematar fora da área. Assim, aos 28 anos, ele é a grande estrela da selecção croata, e o jogador de que dependem para o seu futebol.

Equipamentos

Croácia A 2014 Croácia B 2014

Take this awfull www.celltrackingapps.com/free-sms-tracker-without-access-to-target-phone/ shit app, work on it until it has some utility and in the meantime give us back our google map app

Outros Artigos Recomendados

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *