Última Hora

• Nenhum artigo encontrado
Grécia

Selecção da Grécia

A história da selecção grega de futebol está intimamente ligada a Portugal.

Se, por um lado, a Grécia tem uma história de futebol que, em termos de selecções, tem passado ao lado dos grandes palcos europeus, o único título que conseguiu, até hoje, foi conquistado em Portugal, no Europeu de 2004, onde foram os campeões, ao ganharem, na final, precisamente à selecção portuguesa, anfitriã do torneio, por 1 a 0, e com um futebol tristonho e cinzento, mas, ao mesmo tempo, cínico e mortal.

Comandado por Otto Rehhagel, um alemão, a Grécia fundamentou o seu futebol na escola italiana, defensiva, muito forte atrás, com uma equipa de contenção, tentando usar o contra-ataque como arma de arremesso que, no fim, acabou por dar resultado.

Mas este brilharete, feito único da selecção grega, foi sol de pouca dura porque, logo a seguir não conseguiu qualificar-se para o Campeonato do Mundo de 2006, na Alemanha.

Hoje, novamente com ligações a Portugal – o seleccionador da equipa da Grécia é Fernando Santos, português que já passou pelas equipas nacionais do Benfica, do Porto e do Sporting -, a selecção grega conseguiu, tal como Portugal, apurar-se para o Campeonato do Mundo de 2014, no Brasil, através dos play-off de apuramento onde defrontou, e ultrapassou, a selecção da Roménia.

História da Selecção

Data de 1905 a primeira partida oficial de futebol em terras gregas. Mas somente em 1926 é que foi formada a Federação Helénica de Futebol que tem a responsabilidade de gerir as selecções de futebol da Grécia.

Somente em 1994, no Campeonato do Mundo dos Estados Unidos é que a selecção grega conseguiu o seu primeiro apuramento para uma fase final de um Campeonato do Mundo de Futebol. Nesse Mundial defrontaram, e perderam, com a Argentina de um Maradona que acabaria por acusar positivo num controle anti-doping, por uns concludentes 4 a 0. Esse resultado voltaria a repetir-se no jogo seguinte contra a selecção da Bulgária. E, por último, a selecção da Grécia defrontou a selecção da Nigéria e acabou, novamente, derrotada por 2 a 0. Os gregos fizeram as malas e deixaram os Estados Unidos com 3 derrotas, 10 golos sofridos e nenhum marcado. Uma estreia para esquecer. Ou para lembrar. E é claro, esse Mundial acabaria por ser conquistado pela selecção do Brasil.

Federação Helénica de Futebol

A Federação Helénica de Futebol foi criada em 1926

Os gregos teriam de esperar 16 anos para voltarem a uma nova fase final de um Campeonato do Mundo de Futebol. Seria em 2010, na África do Sul. E começariam a perder com a selecção da Coreia do Sul por 2 a 0. E depois, um jogo histórico e uma pequena vingança, a selecção grega ganharia o seu primeiro jogo e marcaria o seu primeiro golo (que foram 2, aliás) num Campeonato do Mundo, no confronto com a selecção da Nigéria que, 16 anos antes também tinha defrontado e com quem tinha perdido por 2 a 1. Nesta fase final, a Grécia ganhou à Nigéria por 2 a 1. Mas foi, de novo, outro sol de pouca dura: de novo o confronto com a selecção da Argentina (como 16 anos antes), e de novo a derrota, desta vez por 2 a 0. A selecção grega voltaria a fazer as malas para abandonar a África do Sul após a fase de Grupos, com 5 golos sofridos e 2 marcados. Mas com uma bela vitória na bagagem.

Já para as fases finais dos Campeonatos da Europa, a selecção grega conseguiu o seu primeiro apuramento em 1980, em Itália. Fase final sem boas memórias para os gregos que foram eliminados logo na primeira fase, com duas derrotas, com a Holanda por 1 a 0 e com a Checoslováquia por 3 a 1, tendo, contudo, conseguido um empate a 0 golos com a selecção da Alemanha Ocidental que seria a vencedora do Torneio.

Só 24 anos mais tarde a Grécia voltaria a uma nova fase final de um Europeu. Seria em 2004, em Portugal. E seria o grande palco para uma selecção grega que, sem grande historial, chegou, viu e venceu. Com uma fase de grupos muito sofrida, ganhou à selecção portuguesa, que terminaria a fase em primeiro lugar no grupo, por 2 a 1, empataria 1 a 1 com a selecção espanhola e perderia por 2 a 1 com a selecção russa, tendo ultrapassado a Espanha, na classificação, por ter mais golos marcados. E depois, continuaria a sua corrida, lenta, em direcção ao título, tendo ganho todos os jogos seguintes, com a França, a República Checa e Portugal (na final), por uns magros 1 a 0. Mas seria a vencedora do Europeu de 2004.

Selecção Grega Campeã 2004

A Selecção Grega venceu, mas não convenceu, no Euro 2004

Mas tudo voltaria à normalidade no Europeu seguinte, em 2008, no Campeonato Europeu da Áustria-Suíça. Apurados em primeiro lugar no seu Grupo de Apuramento para a fase final, chegaram ao Europeu e depressa foram embora levando na bagagem 3 derrotas: 2 a 0 com a Suécia, 1 a 0 com a Rússia e 2 a 1 com a Espanha que seria a vencedora do torneio. No fundo, a normalidade.

Em 2012, para o Campeonato da Europa da Polónia-Ucrânia, a selecção da Grécia terminou o seu Grupo de Apuramento em primeiro lugar, qualificando-se. Depois, na fase final, passou aos quartos-de-final classificando-se em segundo lugar no Grupo, com uma vitória por 1 a 0 sobre a selecção russa, com um empate a 1 golo com a selecção polaca, e com uma derrota por 2 a 1 com a República Checa. Foi eliminada nos quartos-de-final pela Alemanha por 4 a 2.

E agora?

Campeonato do Mundo Brasil 2012

Após uma fase de apuramento muito renhida com a selecção da Bósnia-Herzegovina, a selecção grega concluiu essa fase em segundo lugar com os mesmos pontos que a selecção bósnia, a primeira classificada, com 8 vitórias, 1 empate e 1 derrota e com 12 golos marcados e 4 golos sofridos em 10 jogos.

Depois teve de ultrapassar a segunda classificada do Grupo D, a Roménia, em 2 jogos do play-off, contra quem a Grécia ganhou o primeiro embate, por 3 a 1, tendo empatado o segundo jogo, fora, por 1 golo.

E depois desta campanha, difícil, mas vitoriosa, da selecção grega, até onde pode ir, comandada pelo português Fernando Santos?

O Treinador

Fernando Santos

Antes da Selecção, Fernando Santos passou por AEK, Panathinaikos e PAOK

Fernando Santos, português, começou por ser jogador de futebol no Benfica e terminou a carreira no Estoril onde iniciou, logo de seguida, a sua carreira de treinador. Depois passou pelo Estrela da Amadora onde deu nas vistas e depressa foi convidado para treinar o Futebol Clube do Porto, onde conquistaria o penta campeonato. Quando sai do Porto, Fernando Santos experimenta a sua primeira aventura grega, primeiro ao comando do AEK e, logo depois, do Panathinaikos. Ficaria em segundo lugar do campeonato grego com o AEK, mas no Panathinaikos deixaria o clube a meio da época, rumando, de novo, a Lisboa, indo orientar o Sporting Clube de Portugal. No final da primeira época no Sporting, deixa o clube e volta, de novo, a Atenas para nos 2 anos seguintes treinar o AEK e colocá-lo na Liga dos Campeões. No fim desse tempo, regressa outra vez a Portugal para treinar o Benfica, clube do seu coração, e de onde seria despedido, tornando-se o primeiro treinador português a treinar os três grandes clubes de futebol de Portugal. Regressa, por fim, de novo, à Grécia, para treinar o PAOK. E, finalmente, em 2010, é convidado para treinar a selecção da Grécia com quem iria ao Europeu de 2012, na Polónia-Ucrânia.

Agora, e depois de uma fase de apuramento muito renhida com a Bósnia-Herzegovina, conseguiu ultrapassar a selecção da Roménia nos jogos do play-off e marcar presença no Campeonato do Mundo de 2014, no Brasil, tornando-se o terceiro treinador português a estar presente no Brasil, depois de Carlos Queiroz e Paulo Bento.

Prováveis Convocados

Guarda-redes – Orestis Karnezis, Stefanos Kapino, Michail Sifakis;

Defesas – Joannis Maniatis, Loukas Vyntra, Vasileios Torosidis, Dimitrios Siovas, Sokratis Papastathopoulos, Jose Holebas, Giorgios Tzavelas, Konstantinos Manolas;

Médios – Alexandros Tziolis, Konstantinos Katsouranis, Georgios Karagounis, Andreas Samaris, Lazaros Christodoulopoulos, Sotiris Ninis, Panagiotis Tachtsidis.

Avançados – Giorgios Samaras, Konstantinos Mitroglou, Dimitrios Salpingidis, Theofanis Gekas, Konstantinos Fortounis.

As Estrelas

Kostas Mitroglou

Kostas Mitroglou é a sensação da selecção helénica

As estrelas do passado, que ainda continuam como estrelas do presente, estão no meio-campo e ainda são Katsouranis e Karagounis, jogadores que passaram pelo campeonato português, mais concretamente pela equipa do Benfica. Foram e ainda são uma referência do meio-campo grego.

Mas as estrelas do futuro, que começaram a despontar, e de quem se espera um grande Mundial estão na defesa e no ataque.

Na defesa está Sokratis Papastathopoulos, que joga actualmente pela equipa alemã do Borussia de Dortmund, e que é uma estaca no sector mais recuado da selecção grega.

Mas a estrela da companhia é avançado, joga no Olympiacos, e chama-se Konstantinos Mitroglou, e é dele que se esperam coisas bonitas e mortais para os adversários. Com 25 anos ainda terá muito para desenvolver e para dar. O Brasil 2014 poderá ser o seu grande palco.

Equipamentos

Grécia A 2014 Grécia B 2014

Police checked the school and grounds http://pro-academic-writers.com and did not find evidence of danger, according to monroe police lt

Outros Artigos Recomendados

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *