Última Hora

• Nenhum artigo encontrado
Selecção Japonesa

Selecção do Japão

O Japão, tal como a Coreia do Sul, é uma as duas grandes selecções de futebol da Ásia.

Mas a sua história nos grandes palcos dos Mundiais de futebol é extremamente recente. Tudo começou em 1998 com a primeira qualificação para uma fase final de um Campeonato do Mundo. De então para cá, o Japão não falhou mais nenhum Mundial. E agora, aí está, qualificada para o Campeonato do Mundo de 2014, no Brasil.

Mas o Japão não teve vida fácil. Entre os anos em que não competiu – não participou nas fases de qualificação para os respectivos Mundiais -, e os anos em que não conseguiu a qualificação, o Japão ainda tem no seu historial o facto de ter sido banido (banido é se calhar muito forte, digamos então que não lhe foi permitido participar) ao Campeonato do Mundo de 1950, no Brasil, onde vai estar agora, como represália pelo seu papel na Segunda Guerra Mundial.

História da Selecção

Primeiro é preciso dizer que o grande desporto nacional no Japão era o Baseball. O futebol, jogado profissionalmente, só surge nos anos ’90, com a criação da J-League. Como resultado disso mesmo, a primeira grande conquista nipónica, em 1992, como campeões da Taça da Ásia, organizada, precisamente, no Japão.

Mas já em 1994 o Japão esteve muito perto de conseguir a sua primeira qualificação para um Campeonato do Mundo, no caso, o dos Estados Unidos. O Japão estava virtualmente apurado. Faltava um jogo. Em casa. E aconteceu a Lei de Murphy. Tudo o que pode acontecer de mal, acontece. E aconteceu. E ficou conhecido como a Agonia de Doha. O Japão recebia o Iraque, em casa, no último jogo. E começou a ganhar logo aos 5 minutos. No segundo tempo, a selecção iraquiana empata o jogo, mas 15 minutos depois, o Japão volta a estar à frente do marcador. E tudo corria bem. mas depois apareceria Murphy, na pele de Jaffar Salman, o jogador iraquiano que fez o golo do empate para o Iraque já depois dos 90 minutos

Japan Football Association

O Japan Football Association nasceu em 1921, mas só nos anos ’90 houve um campeonato nacional profissional

regulamentares. Foi o desespero no estádio, com os jogadores nipónicos a cair para o chão, chorosos e em desespero. Ter o pássaro na mão e deixá-lo fugir…

Mas depressa recuperaram. Se alguma coisa caracteriza o povo japonês é a sua capacidade de superar as adversidades e a eles próprios. Não seria em 1994, seria em 1998.

E em 1998, no Campeonato do Mundo de França, conseguiriam, finalmente, a sua primeira qualificação para uma fase final. Não foi brilhante, mas marcaram presença. Calharam no Grupo H, não muito complicado, mas não conseguiram melhor que três derrotas em três jogos. Perderam 1 a 0 com as selecções argentina e croata, e por 2 a 1 com a selecção jamaicana. E fora para casa. Mas por pouco tempo. Quatro anos mais tarde eram os organizadores, em conjunto com a Coreia do Sul, do Campeonato do Mundo de 2002. E por todas as razões e mais alguma, estavam apurados.

O Mundial da Coreia do Sul-Japão

Então, em 2002, já apurados por serem co-organizadores do evento, o Japão calha no Grupo H, conjuntamente com a Bélgica, a Rússia e a Tunísia. Fase de grupos exemplar, com duas vitórias e um empate. 5 golos marcados e 2 sofridos. Deu 1 a o à selecção russa e 2 a 0 à selecção tunisina, e empatou a 2 com a selecção belga. A Rússia seria mandada para casa. E o Japão fazia história ao passar, em primeiro lugar, aos oitavos-de-final, no segundo Mundial da sua vida. Aí, pronto, seria eliminada pela selecção turca que iria até às meias-finais onde só seria derrotada pela selecção brasileira que seria a vencedora do Mundial – e a Turquia voltaria a perder, na disputa do terceiro e quarto lugar com a vizinha Coreia do Sul. Perderia por 1 a 0 com um golo turco bem madrugador. Mas para um segundo Mundial, o Japão ficaria com uma boa prestação.

Volvidos quatro anos, lá vamos voltar a encontrar a selecção japonesa na fase final de um Campeonato do Mundo, em 2006, na Alemanha. Desta vez

Austrália 3 - 1 Japão 2006

Em 2006, o Japão ganhava à Austrália por 1 a 0, a 6′ do fim do jogo. Iria perder por 3 a 1

as coisas não correriam tão bem. Mas prometia. Perderam por 3 a 1 com a selecção australiana, mas estiveram a ganhar por 1 a 0, quase até ao fim do jogo, tendo sofrido 3 golos nos últimos 6 minutos de jogo. Foi doloroso. Voltou a perder, por 4 a 1, com a selecção brasileira, mas a verdade é que também esteve a vencer por algum tempo. No terceiro jogo, manteve o nulo com a selecção croata. Os japoneses andam lá perto. E um dia destes…

Depressa chegaria 2010. O Campeonato do Mundo da África do Sul. Duas vitórias e uma derrota. Vitória por 1 a 0 aos Camarões e por 3 a 1 à Dinamarca. Derrota por 1 a 0 com a Holanda. E aberto o caminho dos oitavos-de-final, com o segundo lugar no Grupo E. Depois cruza-se com o Paraguai. Empate a zero no prolongamento. Derrota por 5 a 3 no sorteio dos penaltis. Foi azar. E foram para casa. Mas deixaram uma boa imagem.

E agora? Agora estamos a caminho do Campeonato do Mundo de 2014, e o Japão já fez a sua reserva para o Brasil. Vamos ver o que faz.

As Outras Vidas

Se o Japão já é um cliente habitual das fases finais dos Campeonatos do Mundo, mesmo que as suas participações não sejam muito brilhantes, no contexto regional o Japão é um país cuja selecção já dá cartas.

A selecção japonesa já ganhou por 4 vezes a Taça da Ásia, a última das quais em 2011. Já ganhou, também 5 Medalhas de Ouro nos World University Games, as Universíadas, a última das quais, também em 2011.

Além disso, já ganhou uma Medalha de Prata e duas de Bronze nos Jogos Asiáticos e uma Medalha de Bronze nos Jogos Olímpicos.

Treinador

O italiano Alberto Zaccheroni é o seleccionador da equipa japonesa.

Alberto Zaccheroni

Com Alberto Zaccheroni, o Japão já conquistou a Taça da Ásia em 2011

Com um currículo que incluí algumas das maiores e mais importantes equipas italianas, Zaccheroni não ganhou muitos prémios. Tem, aliás, um currículo bastante pobre de vitórias. Esteve uma época no Bologna, na Lázio, no Inter e no Torino, três épocas no Milan e na Udineses, e meia temporada na Juventus e, no fim de tudo isto, ganhou um Campeonato Italiano com o AC Milan. Não deixa de ser pouco.

Depois de ter saído da Juventus, no final da temporada de 2010 (depois de ter entrado em Janeiro desse ano), Alberto Zaccheroni foi convidado para dirigir a selecção japonesa.

Já com Zaccheroni aos comandos, a selecção nipónica conseguiu o apuramento para o Mundial sem grandes problemas e, ao mesmo tempo, conquistou a Taça da Ásia de 2011. Ou seja, para já, o trabalho de Zaccheroni está a frutificar. Veremos com se comporta no Campeonato do Mundo.

Prováveis Convocados

Guarda-redes – Eiji Kawashima, Shuichi Gonda, Shusaku Nishikawa;

Defesas – Hiroki Sakai, Gotoku Sakai, Maya Yoshida, Masato Morishige, Yuto Nagatomo, Atsuto Uchida, Masahiko Inoha, Yasuyuki Konno, Hideto Takahashi;

Médios – Hotaru Yamaguchi, Hiroshi Kiyotake, Keisuke Honda, Makoto Hasebe, Shinji Kagawa, Yasuhito Endo, Hajime Hosogai, Takashi Inui;

Avançados – Yoichiro Kakitani, Yuya Osako, Shinji Okazaki.

As Estrelas

Keisuke Honda

Keisuke Honda é a grande referência desta equipa nipónica

A selecção japonesa já conseguiu atingir um certo grau de qualidade que se reflecte na quantidade de jogadores que estão a jogar nos vários campeonatos da Europa, especialmente na Alemanha, mas também em Inglaterra.

Jogadores como Yuto Nagatomo, a jogar no Inter, Atsuto Uchida, a jogar no Schalke 04 ou Shinji Kagawa, a jogar no Mancester United, são já certezas da qualidade que grassa em terras nipónicas.

Mas a estrela da selecção é o médio Keisuke Honda que joga actualmente no CSKA de Moscovo mas que, a partir de Janeiro de 2014 irá representar o AC Milan. Honda é um jogador habilidoso, de bom controle de bola que joga bem em equipa. Além disso, é um jogador com remate fácil o que lhe tem permitido marcar bastantes golos. Dele esperam-se coisas fantásticas no Mundial e, especialmente, que ajude a crescer os outros jogadores da selecção pois Heisuke Honde é um jogador que não gosta de perder e não fica parado à espera que as coisas se resolvam. Uma grande jogador.

Equipamentos

Japão A 2014 Japão B 2014 A notification structure can be defined visit our site within the settings that allows certain variables to be swapped out when the notification is received

Outros Artigos Recomendados

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *