Última Hora

• Nenhum artigo encontrado
Manifestação no Rio de Janeiro

Um País Padrão-FIFA

A cerca de 4 meses do início do Campeonato do Mundo de 2014, o Brasil continua em ebulição.

Se por um lado continuam as manifestações contra o preço dos bilhetes dos transportes públicos, por outro continuam, também, as polémicas sobre algumas das obras que se erigiram por causa do Mundial de Futebol.

A última manifestação contra o aumento do preço dos bilhetes dos transportes públicos aconteceu ontem, Quinta-feira, no Rio de Janeiro. Através das redes sociais foi marcado um protesto, que juntou cerca de de 1000 pessoas que marcharam da Igreja da Candelária (tristemente celebrizada pelo massacre de crianças de rua por um grupo de homens da polícia-militar brasileira) até à Estação Central (que o filme Central do Brasil de Walter Salles ajudou a popularizar), plataforma rodoviária onde se junta comboio e autocarros.

A manifestação começou pacífica, gritando palavras de ordem como “Não Pagamos Três Reais”, o valor para o qual foi o aumento do bilhete de autocarro que era de 2,75 e “Queremos Hospitais Padrão-FIFA” numa clara alusão às exigências da FIFA sobre as infra-estruturas construídas para albergar o Campeonato do Mundo, mas que não se espalharam pelo resto do Brasil real, como os transportes, que os manifestantes se queixam de serem caros, sujos, poucos, sem ar condicionado e provocarem longas esperas. No fundo, os brasileiros queixam-se de despender um terço do seu salário em transportes que não têm o Padrão-FIFA.

Mas depressa esta manifestação pacífica virou batalha campal com vários feridos e cerca de 20 detidos. Tudo começou quando foram quebrados os torniquetes de entrada na Estação Central e os passageiros entraram sem pagar. A polícia anti-motim e a segurança da estação usou gás pimenta e gás lacrimogéneo para recuperar o local. Entretanto o confronto já se espalhara pelas ruas adjacentes à estação com os manifestantes a provocarem pequenos incêndios e a vandalizar os espaços por onde passavam.

Deste confronto, o ferido mais grave acabou por ser um operador de câmara da TV Bandeirantes, atingido por um explosivo e que, ao chegar ao hospital, foi sujeito a uma neuro-cirurgia.

Um Moderno Estádio no Meio da Selva

Mas as manifestações contra o aumento do preço dos bilhetes dos transportes públicos não são o único motivo de desagrado de uma grande fatia do povo brasileiro.

Arena Amazónia

O Arena Amazónia deverá ser inaugurado na próxima semana, mas os acabamentos irão continuar.

Também os enormes gastos em obras faraónicas e sem grande utilidade futura estão no centro da fúria brasileira.

A mais recente é sobre o Arena Amazónia, o estádio erigido em Manaus para acolher alguns dos jogos do Mundial de Futebol. Com capacidade para mais de 40 mil espectadores, o Arena Amazónia está quase concluído, com sete meses de atraso e o respectivo deslize orçamental.

Este estádio, que tem uma cobertura exterior feita em Portugal e que viajou de barco até Manaus, está praticamente pronto. O praticamente é algo muito português que deve ter emigrado para o Brasil. O coordenador da Unidade Gestora da Copa já fala em inaugurar o estádio na próxima semana, com a presença de Dilma Rousseff, mas na verdade, ainda se ouvem martelos, falta terminar vários lances de escadas no interior do estádio, falta colocar azulejos e terminar algumas pinturas, e, principalmente, falta colocar o pavimento exterior do estádio. Além de que o sistema de telecomunicações ainda não está a funcionar.

Este estádio, que vai ter um custo a rondar os 185 milhões de euros, servirá para quê, depois do Campeonato do Mundo? Esta é uma das perguntas que os habitantes de Manaus fazem. Mas pessimistas e optimistas concordam no seguinte: de facto a obra ainda não está concluída e, depois do Mundial, logo se vê para o que é que servirá.

Se Portugal pode servir de exemplo, há vários estádios erguidos no país dos quais se poderá perguntar para quê que foram construídos. Leiria, Aveiro, Loulé. O futuro ficou no passado. Os brasileiros gostariam que não fosse assim. E que as suas vidas também tivessem o Padrão-FIFA.

Previously, its outlook had been stable for https://www.writepaper4me.com/ those better-positioned institutions, and negative for the rest

Outros Artigos Recomendados

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *