Última Hora

• Nenhum artigo encontrado
Vahid Halilhodzic

Vahid Halilhodzic “Yes we can “

É já hoje a estreia da Selecção da Argélia frente ao grande favorito do Grupo H, a Selecção da Bélgica.

Em três comparências num Mundial, a Selecção da Argélia nunca passou da primeira fase de grupos, contudo, o jogo, que tem hora marcada para as 13h (horário de Brasília), no Mineirão, não parece preocupar o seleccionador Vahid Halilhodzic, que diz não se sentir pressionado, mas confiante.

“Não acho que estamos sob pressão. Pelo contrário, não temos nada a perder, só a ganhar. Preparei a equipa nesse sentido. Fala-se muito no jogo de há muitos anos atrás contra a Alemanha (1982), mas isso já foi há muito tempo. Poderemos fazer algo parecido contra a Bélgica, mas acho que precisamos de novas referências. (…) Ainda há um ou dois pontos que precisamos de limar. (…) Se vai dar certo, só em campo é que dá para ver. Mas tudo é possível. Como disse o Presidente Obama, “Yes, we can”, com coragem, audácia, dedicação e muita concentração.” – afirmou o treinador, mostrando-se ainda irritado quando um jornalista belga o questionou sobre se uma derrota o deixaria satisfeito.

“Por que não duas bolas a zero para nós, para a Argélia? Não vou negar que há favoritismo. Mas nem sempre os favoritos vencem.” – aprontou-se a responder.

Apesar dos constantes elogios à Selecção da Bélgica por parte de adeptos e da imprensa, o treinador bósnio fez questão de frisar que a equipa africana também possui pontos fortes e relembrou as últimas vitórias em jogos amigáveis , acrescentando ainda que estão a trabalhar para minimizar os problemas no sistema defensivo, e estão com garra para enfrentar o adversário, sem contudo fazer comentários sobre a estratégia que irá utilizar em jogo.

“Não vou falar da nossa estratégia. Nos amigáveis, vimos algumas coisas que não funcionaram, não vou entrar em detalhes. Mudei principalmente na defesa. Temos um bom guarda-redes, um artilheiro estável, mas na defesa tive problemas por lesões e outros motivos” – disse o treinador, que prefere assim manter o mistério.

Na tarde do dia de ontem, a Argélia treinou por uma hora no Mineirão, local da estreia da equipa no Mundial. O treino de reconhecimento foi aberto por apenas 15 minutos para a imprensa, que só pôde registar imagens do aquecimento dos jogadores.

Porém, e de acordo com alguns jornalistas argelinos, há dúvidas na defesa, entre Cadamuro e Hallish, e outra no ataque, entre Ghilas e Mahrez. É  quase certo, porém, que dois dos destaques da Argélia joguem logo desde início: Feghouli, que joga no Valencia, em Espanha, e Bentaleb, do Tottenham, em Inglaterra.

Assim sendo, crê-se que a equipa provável seja: M’Bohli; Mostefa, Bougherra, Cadamuro (Hallish) e Ghoulam; Feghouli, Medjani, Taider e Bentaleb; Soudani e Ghilas (Mahrez).

seleção argeliaCuriosidades

Enquanto na Selecção da Bélgica a grande maioria dos jogadores são de origem inglesa, na Argélia, a curiosidade fica mesmo a cargo do facto de dez dos onze titulares serem nascidos na França. Só o avançado Soudani nasceu em solo africano. Os demais são todos descendentes de argelinos residentes em território francês, o que faz com que possam escolher, caso seja o caso, entre jogar na Selecção da Argélia ou da França – como foi o caso de Zidane, que foi campeão do mundo em 1998 pela Selecção da França.

It https://writepaper4me.com/ affects everything in terms of dropout rates, graduation rates, argues katie neuschwanger, now the full-time counselor and behavior specialist at yamhill carlton intermediate, in oregon

Outros Artigos Recomendados

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *